Compre Alimentos Orgânicos na Tudo Saudável Produtos Naturais


Atualizações: Operação Jade Helm

Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 3 Votos - 4 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A guerra não declarada contra a História
04-05-2014, 12:27 PM
Resposta: #1
A guerra não declarada contra a História
A União Soviética, que assumiu o maior fardo da luta contra os nazis, foi obrigada, ainda durante a Guerra Fria, a entrar numa nova luta, desta vez em defesa da sua História, quando começaram as tentativas de revisionismo dos acontecimentos mais trágicos do século passado.


[Imagem: 9RIAN_00618727.LR.ru.jpg]
Foto: RIA Novosti


Contudo, os que pretendem definir novos derrotados e vencedores continuam a existir na atualidade.

Não satisfeitos com o derrube de estátuas a soldados soviéticos, eles descem ao ponto de sonegar factos e até de mentirem descaradamente.

Nesses dias, há sessenta e nove anos, as tropas soviéticas tomaram Berlim.

Quase toda a Europa estava libertada da ocupação nazi.

A memória desta grande vitória, que se transformou num dos momentos-chave da História mundial, permanece em muitos países europeus, por exemplo, existem monumentos aos libertadores soviéticos na Áustria, na Hungria, na Bulgária, na Alemanha, na Letônia, na Polônia e na Estônia.

Mas é bem verdade que, nalguns países, não querem recordar o movimento libertador soviético.

Os monumentos fúnebres dos militares soviéticos em Budapeste desapareceram ainda na década de 90.

Há sete anos, desmontaram, na Estônia, o monumento aos libertadores de Tallinn do fascismo.

Desde então, discute-se a necessidade de erguer, naquele local, um monumento às vítimas da ocupação soviética, tal como foi feito em Chisinau.

Mas, se a população do Báltico sempre teve uma postura pouco calorosa face à União Soviética, e até não se opôs a colaborar com o regime fascista, este tipo de alteração de valores na Ucrânia, que participou ativamente nos movimentos de libertação, é, no mínimo, estranho.

Mas, as actuais autoridades de Kiev têm outros inimigos e outros heróis.

Agora até têm outras comemorações.

As autoridades locais das regiões ocidentais há muito que se recusam a organizar paradas no Dia da Vitória, e, em Lviv, o dia 9 de maio até é considerado um dia de luto.

Agora esta moda chegou à capital, este ano Kiev revogou oficialmente a parada do Dia da Vitória. Mas, tal como declararam as autoridades locais, a cidade irá receber outros “eventos comemorativos”.

Esta alteração conceptual é um elemento indissociável do processo de revisão das conclusões da Segunda Guerra Mundial, nomeadamente no que concerne à busca de novos vencedores e derrotados.

Enquanto novo agressor, foi eleita, por unanimidade, a URSS, pois o Ocidente coloca o ônus do início da Segunda Guerra Mundial na União Soviética ou no “regime estalinista”, bem como na sua herdeira Rússia, e não na Alemanha Nazi, como refere o historiador Andrei Marchukov:

Isto é feito através de fraudes maciças.

É omitido o papel agressor da Alemanha de Hitler no despoletar da Segunda Guerra Mundial, é omitido o papel das democracias ocidentais, sobretudo dos EUA e do Reino Unido, enquanto financiadores do Regime de Hitler e atiçadores contra o Oriente, pela conquista da Europa Oriental e da URSS.

É também omitido o papel negativo da Polônia no despoletar da Segunda Guerra Mundial, pois é sabido que a diplomacia polaca impediu ativamente todas as tentativas do Governo Soviético em estabelecer um sistema de segurança colectiva na Europa .

A luta contra os verdadeiros resultados da Segunda Guerra Mundial chega a ter aspectos absurdos.

O Museu interativo norte-americano das Notícias e do Jornalismo inquiriu cientistas e jornalistas no sentido de elaborar a lista dos cem acontecimentos mais significativos do século passado.

O primeiro lugar foi concedido ao bombardeamento de Hiroshima e Nagasaki, à capitulação do Japão e à vitória na Segunda Guerra Mundial.

Foi exatamente por esta ordem e com esta relação de causa e consequência.

Aliás, o início da guerra é muito menos relevante para os norte-americanos, e apenas ocupa o 15º lugar, após a demissão do 37º Presidente dos EUA, Richard Nixon.

Os horrores do Holocausto, que ocupam o sétimo lugar, ficam atrás do direito de voto das mulheres.

Mas, se o objectivo norte-americano de liderança mundial já não espanta ninguém, a ação desta propaganda absurda no Japão é digna de espanto. Muitos jovens japoneses estão convencidos de que Hiroshima e Nagasaki foram bombardeadas pela União Soviética.

Lá, já não se recorda o fato de se tratar de uma resposta norte-americana à Batalha de Okinawa e ao ataque de Pearl Harbor, afirma o politólogo militar Alexander Prendzhiev:

Nos manuais escolares japoneses pode ler-se a seguinte frase: as Forças Armadas soviéticas iniciaram o ataque, após o qual, Hiroshima e Nagasaki foram bombardeadas.

Mas, não é referido quem bombardeou, e os japoneses ficam com a impressão de que foram as Forças Armadas soviéticas a bombardear.

Apesar de não ser mencionado diretamente, fica a impressão de que foi a URSS.

Assim, a maioria dos japoneses nem sabe que Hiroshima e Nagasaki foram bombardeadas por norte-americanos .

Assim, os EUA, que durante a Segunda Guerra Mundial fizeram uma fortuna a fabricar e a vender armas, transformam-se em arautos únicos do humanismo.

É de salientar que o cidadão médio norte-americano está convencido de que a Segunda Guerra Mundial foi vencida pelos EUA.

Aqui o segredo não reside apenas na propaganda, mas também na forma de estar norte-americana. Ganhou aquele que obteve maiores benefícios materiais.

Durante os anos de guerra, o volume da produção industrial norte-americana mais do que duplicou.

No caminho para o domínio econômico e político do Mundo, resta apenas a Washington declarar-se o principal defensor da paz, e para isso é preciso anunciar a URSS enquanto principal agressor.

Além disso, este tipo de abordagem permite destruir, de forma definitiva, o sistema de Yalta-Potsdam, que garantia o equilíbrio entre o bloco ocidental e a URSS, e refreava os EUA do caminho para a hegemonia.

Segundo Andrei Marchukov, a revisão dos resultados da Segunda Guerra é um passo para a reorganização mundial:

A ameaça é colossal, pois na época soviética existia um visível equilíbrio entre a URSS e os EUA, existia a paridade e havia a noção de que esta fronteira não podia ser ultrapassada.

Mas, quando um país – como é óbvio referimos aos EUA – adquire o monopólio da força, começam as guerras sangrentas, os conflitos, como se de uma bola de neve se tratasse, e dos quais somos testemunhas.

É isso que acontece quando os EUA, violando todos os acordos internacionais, tentam impingir, ao mundo inteiro, a sua organização econômica, o seu sistema político e retirar a soberania política aos outros países.

Este sistema unipolar de liderança é rico em guerras e derramamentos de sangue .
Para que isso não aconteça é necessário continuar com a guerra contra o regime nazi e pelo restabelecimento da verdade histórica.

FONTE:http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_05_0...oria-5340/
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 10 usuários diz(em) obrigado a John Dickinson pelo seu post:
admin (05-05-2014), Castelo (04-05-2014), Chronoplast (04-05-2014), DIDA (04-05-2014), FaNtOmAs (04-05-2014), farcfox (04-05-2014), Guigo Xavier (05-05-2014), John Wesley (04-05-2014), mr.newface (10-05-2014), Rox Extreme (04-05-2014)
Compre o Melhor do Mel e Derivados na Tudo Saudável
04-05-2014, 09:33 PM
Resposta: #2
RE: A guerra não declarada contra a História
"Nesses dias, há sessenta e nove anos, as tropas soviéticas tomaram Berlim.

Quase toda a Europa estava libertada da ocupação nazi.

A memória desta grande vitória, que se transformou num dos momentos-chave da História mundial, permanece em muitos países europeus, por exemplo, existem monumentos aos libertadores soviéticos na Áustria, na Hungria, na Bulgária, na Alemanha, na Letônia, na Polônia e na Estônia. "


Pois é... foram libertados da ocupação Nazi, e foram ocupados pelos soviéticos... muito mais violentos, e ainda sobre o regime do cara que mais matou gente na atualidade, um tal de Stalin =)

"O problema com o mundo é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, enquanto os estúpidos estão cheios de confiança"
Charles Bukowski
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 5 usuários diz(em) obrigado a UltraRealista pelo seu post:
Bogoton (24-03-2017), Chronoplast (04-05-2014), John Dark (05-05-2014), John Dickinson (04-05-2014), Petrus Praeliator (05-05-2014)
04-05-2014, 10:23 PM (Resposta editada pela última vez em: 04-05-2014 10:26 PM por Randradeknives.)
Resposta: #3
RE: A guerra não declarada contra a História
(04-05-2014 09:33 PM)UltraRealista Escreveu:  Pois é... foram libertados da ocupação Nazi, e foram ocupados pelos soviéticos... muito mais violentos, e ainda sobre o regime do cara que mais matou gente na atualidade, um tal de Stalin =)

Bem observado, @UltraRealista !
Segue interessante documentário em espanhol sobre este período da história, mostrando desde a ascensão de Stalin até sua morte. Uma aula de história imperdível!



Cool Conhecimento é poder!
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 5 usuários diz(em) obrigado a Randradeknives pelo seu post:
Guigo Xavier (05-05-2014), John Dickinson (04-05-2014), Petrus Praeliator (05-05-2014), Rox Extreme (04-05-2014), UltraRealista (05-05-2014)
04-05-2014, 10:32 PM
Resposta: #4
RE: A guerra não declarada contra a História
(04-05-2014 09:33 PM)UltraRealista Escreveu:  Pois é... foram libertados da ocupação Nazi, e foram ocupados pelos soviéticos... muito mais violentos, e ainda sobre o regime do cara que mais matou gente na atualidade, um tal de Stalin =)

" O OPRIMIDO DE HOJE , VIRARA O OPRESSOR DE AMANHA " Alguém disse isto .

Pois é meus caros colegas de fórum , esta realidade é igual em qualquer parte do planeta .
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 4 usuários diz(em) obrigado a John Dickinson pelo seu post:
admin (05-05-2014), Chronoplast (04-05-2014), Guigo Xavier (05-05-2014), mr.newface (10-05-2014)
Conheça os Benefícios do Matcha
05-05-2014, 09:57 AM
Resposta: #5
RE: A guerra não declarada contra a História
Pois é, caro @Randradeknives, não há parte correta defensora dos direitos humanos.
Mas os fatos não podem ser encobertos. Tanto quanto aos vencedores da guerra como os horrores ocorridos posteriormente.
A URSS teve, se não me engano, quase 30 milhões de mortos. Isso é mais da metade dos mortos da Segunda grande guerra, que se aproximou dos 50 milhões de mortos. Portanto, foi o país que mais se entregou para vencer os nazistas.
E não podemos esquecer que a URSS também derrotou militarmente outro imperador Europeu, Napoleão.
Coincidentemente, tanto Napoleão como Hiltler tiveram grande empenho em dominar a Europa oriental, mas não chegaram a combater tão fortemente a Inglaterra. A maior ofensiva nazista contra os ingleses foram os mísseis V2 que eram lançados a esmo e caiam dentro do território da Inglaterra.
Alega-se que se deu ao fato dos ingleses terem grande poderio naval. Mas tenho lá minhas dúvidas. Pois tudo que contam da história é meio duvidoso.
Mas, nenhuma das partes foram humanitárias enquanto estiveram no domínio.

"Não é quem eu sou por dentro e sim o que eu faço é que me define." Batman.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
05-05-2014, 07:34 PM (Resposta editada pela última vez em: 05-05-2014 07:40 PM por UltraRealista.)
Resposta: #6
RE: A guerra não declarada contra a História
Me desculpe, mas a União Soviética não se "entregou" na luta contra o nazismo. Acho esse termo engraçado, fazer heroico regimes que foram muito mais violentos e assassinos que o alemão sob o comando de Hitler.

O Oprimido será o opressor? Desde quando Stalin foi oprimido ? Desde quando a Rússia ou União Soviética foi oprimida? Sempre ví os bonitões conquistando territórios a barbarizando geral outros países. Sempre foram eles os OPRESSORES. Tanto que foram oprimir algumas décadas antes o Japão, e tomaram uma chinelada de um paisínho minúsculo e na época completamente sub desenvolvido! Sorte deles é ter uma extensão territorial gigantesca, superpopulação e invernos piores que um super congelador.

Não entendi qual a intenção desse tópico, se é corroborar e compartilhar a ideia de que a história escrita pelos VENCEDORES não deva ser revista hora nenhuma, ou se é simplesmente para puxar o saquinho frio da ditadura mais idiota e violenta que já passou por esse planeta. Até parece que os soviéticos não faziam atrocidades... Não vi hora nenhuma sendo citado que os piores campos de concentração e trabalho forçado na segunda guerra eram dos soviéticos, também não ví ninguém lembrando que os tais "monumentos feitos para enaltecer a bravura dos guerreiros soviéticos" foram construídos pelos próprios soviéticos nos países que eles aparentemente "libertaram". Boa liberdade, onde se passa fome e é obrigado a trabalhar sob um regime "socialista" onde não existe a oportunidade de crescer, onde não existe liberdade de escolha. Regime onde o ditador imagina que alguém trama algo contra ele, e manda a pessoa sem direito a julgamento direto para um campo de trabalho forçado na sibéria ( isso depois de terem libertado a Europa =D ).

Acho burrice também idolatrar os Estados Unidos como grandes heróis na segunda guerra. Fizeram campos de concentração para japoneses que moravam dentro do território americano, forçando-os a trabalhar, retirando inclusive aqueles que eram apenas descendentes de suas casas e levando para o trabalho escravo, e quando a guerra acabou, a maioria já nem podia reaver suas residências, pois essas já haviam sido ocupadas por "cidadãos americanos de bem". Não preciso nem falar sobre a gracinha em Hiroshima e Nagazaki né? Feita em um país já derrotado apenas para serem os bonitões do pedaço.

Essas coisas não estão realmente escritas em quase nenhum livro de história... essa parte não é ensinada nas escolas... mas para quê questionar o passado né? Para quê travar uma "guerra contra a história", história essa que foi escrita pelos vencedores dos grandes eventos bélicos? Para quê é? Vamos simplesmente confiar no que nos contam, ligar a rede globo, assistir o futebol e ser feliz.

"O problema com o mundo é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, enquanto os estúpidos estão cheios de confiança"
Charles Bukowski
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a UltraRealista pelo seu post:
Chronoplast (05-05-2014), Randradeknives (05-05-2014)
05-05-2014, 08:39 PM
Resposta: #7
RE: A guerra não declarada contra a História
(05-05-2014 07:34 PM)UltraRealista Escreveu:  ...

Ok, então:

Vamos culpar todos as atrocidades da idade media europeia a Jesus Cristo.

Todo fanatismo, egocentrismo e insanidade europeia a Hitler.

Toda loucura e malevolência de Stalin ao socialismo.

Toda destruição, ganancia pelo poder ao capitalismo.

Ao final para que nos preocuparmos com as complexidades se podemos ser simplórios.

Desculpem, no entanto essas reduções a simploriedade poderiam ser evitadas no forum.

Stalin ao comando da Rússia transformou um pais medieval na maior potencia mundial.

Gritar uma meia-verdade não fará dela uma verdade.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 1 usuário disse obrigado a tarcardoso pelo seu post:
John Dickinson (05-05-2014)
Stévia pelo menor preço você encontra aqui
05-05-2014, 08:47 PM (Resposta editada pela última vez em: 05-05-2014 08:49 PM por John Dickinson.)
Resposta: #8
RE: A guerra não declarada contra a História
Vou trazer um pouco de história para vcs , que acham que a União Soviética não foi tão importante como estão dizendo !!!


A batalha que definiu os rumos da Segunda Guerra Mundial

Em 1939, em Khalkhin Gol, o maior duelo de tanques até então colocava o império japonês contra a União Soviética e definia os rumos da Segunda Guerra

Fábio Marton | 25/07/2012 18h45

Em 2009, o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, foi à capital da Mongólia, Ulan Bator, celebrar os 70 anos de um evento militar.

Medvedev disparou flechas junto com o presidente mongol, Tsakhiagiin Elbegdorj, provou da bebida local, o airag (ou kumis, fermentado de leite), visitou monumentos do período comunista e fez um discurso: "A vitória em Khalkhin Gol, como sabemos, mudou a paisagem política internacional, convencendo o Japão a não entrar em guerra contra a União Soviética ao lado da Alemanha nazista, e tornou possível movimentar um grande número de tropas do Extremo Oriente para Moscou em 1941".

O que eles sabem - e não muita gente além deles - é que entre 11 de maio e 16 de setembro de 1939, 57 mil soviéticos enfrentaram 75 mil japoneses na fronteira da Mongólia com a China.

É uma região desértica, sem recursos naturais importantes e infestada de mosquitos.

Mas essa disputa por uma faixa minúscula de terra seca teve imenso impacto no destino da Segunda Guerra.

Três momentos costumam ser apresentados como definidores da derrota do Eixo.

Um deles é o ataque a Pearl Harbor pelo Japão, em 7 de dezembro de 1941, tirando os Estados Unidos da neutralidade no conflito.

Outro é a vitória soviética em Stalingrado, em 2 de fevereiro 1943, que pôs os nazistas para correr e os fez começar uma guerra defensiva, na qual de nada servia a estratégia, até então vitoriosa, de blitzkrieg ("guerra-relâmpago").

O terceiro foi a invasão da Normandia, o Dia D, em 6 de junho de 1944, orquestrada pelos Estados Unidos. Ela fez Hitler lutar em dois fronts, comprometendo ainda mais sua capacidade bélica.

Khalkhin Gol não foi menos fundamental. Sem essa derrota na Mongólia, o Japão poderia ter decidido invadir a União Soviética por terra, em vez de atacar Pearl Harbor - e isso seria capaz de inviabilizar a vitória russa sobre os alemães em Stalingrado, além de manter os Estados Unidos fora do conflito.

Sem os Estados Unidos, o desfecho da guerra poderia ser muito diferente.

[Imagem: bat-armas-ah-95.jpg]

O local

A batalha de Khalkhin Gol aconteceu ao lado do rio Khalkhin, ou Halha (gol em mongol quer dizer rio; o gol do futebol é gool).

Os japoneses preferem chamá-la de Incidente em Nomonhan por causa da vila mongol que delimita o outro lado do campo de batalha.

De 11 de maio a 16 de setembro de 1939, soviéticos e japoneses se digladiaram no maior conflito entre tanques já visto até então.

O historiador militar Edward Drea, consultor do Pentágono e autor do livro Nomonhan: Japanese-Soviet Tactical Combat (sem tradução), escreve sobre o tema desde os anos 1980.

Segundo ele, um fator que dificultou a divulgação e a análise da importância do episódio foi a barreira linguística - os documentos estavam em russo e japonês.

Outro é que, antes do fim do confronto, em 1º de setembro, a Alemanha invadiu a Polônia, o que é considerado o ínicio oficial da Segunda Guerra. Drea e o historiador Alvin Coox (morto em 1999), da Universidade da Califórnia, foram os primeiros a destacar a importância de Khalkhin Gol.

Foi uma das batalhas mais importantes da guerra.

Ela sangrou os japoneses.

Eles ficaram com medo da União Soviética e decidiram que os americanos seriam um alvo mais fácil , afirmou ao New York Times o especialista Chalmers Johnson, aluno de Coox.

Foi tão importante quanto Stalingrado.

O pretexto

O confronto aconteceu no meio do nada.

Entre Nomonhan e o rio Khalkhin, são 25 km de deserto, ocasionalmente pontuados por arbustos e grama baixa.

O rio chega a 150 m de largura, e o terreno é pantanoso em uma faixa de até 2 km em suas margens.

A temperatura no verão bate nos 40 ºC.

Em 11 de maio de 1939, cerca de 80 membros da cavalaria mongol atravessaram o rio para que seus cavalos pastassem do outro lado - os cavalos ainda eram usados para transportar tropas, que lutavam desmontadas com metralhadoras, fuzis e morteiros.

Em Nomonhan, estava uma patrulha de novatos japoneses, deixados lá justamente para não enfrentarem a guerra de verdade, que acontecia com a China, ao sul.

Esses soldados, que também andavam a cavalo, expulsaram os mongóis a tiros, matando sete deles.

Os japoneses sabiam no que estavam se metendo.

Desde uma revolução em 1924, a Mongólia era uma república comunista fortemente próxima à União Soviética.

Segundo Drea, os japoneses simplesmente estavam dispostos a "castigar os violadores de suas fronteiras", custasse o que custasse.

A patrulha em Nomonhan não era parte do Exército Imperial Japonês, mas do Exército de Kwangtung, uma força especial para administrar as possessões japonesas em terra.

A força havia sido criada após a vitória na Guerra Russo-Japonesa (1904-1905), que deu ao Japão uma faixa de terra ao norte da Coreia. Em 1910, o Japão anexou a Coreia por meio de um tratado.

Em 1931, os radicais do exército de Kwangtung armaram um falso atentado chinês, desobedeceram ordens do comando geral em Tóquio e conquistaram por conta própria a Manchúria, território ao norte da China, instalando um governo marionete.

Apesar da insubordinação, a riqueza da região fez os oficiais japoneses considerarem a conquista um fato consumado e aceitarem suas consequências.

A partir daí, o Japão tinha 3 mil km de fronteira com a URSS para administrar.

No ano anterior, os japoneses haviam tentado conquistar um pedaço de terra próximo ao lago Khazan, 130 km ao sul de Vladivostok, a cidade mais importante do Extremo Oriente russo.

Os japoneses foram repelidos, mas lutaram em menor número, 7 mil contra 22950, e tiveram menos baixas que os russos: 526 mortos e 913 feridos, contra 717 e 2752.

Não ficaram impressionados.

Segundo Drea, o Japão acreditava que os russos eram ferozes em combate, mas um tanto sem imaginação.

Os expurgos no Exército feitos por Stalin a partir de 1935 teriam deixado o Exército Vermelho descerebrado, e os soldados, submissos e atemorizados, ficariam sem iniciativa se atingidos pela tenacidade japonesa.

Os japoneses sabiam que suas armas eram inferiores às dos soviéticos, mas esperavam vencer com seu "espírito de guerra" superior, isto é, sendo corajosos de forma suicida.

A tática favorita da infantaria japonesa era atacar à noite, chegar o mais próximo possível do inimigo, de preferência pelos flancos, e executar uma carga com baionetas e espadas - a famosa carga banzai, que os americanos veriam na Segunda Guerra.

Os mongóis voltaram com seus amigos russos dois dias depois do primeiro incidente.

Os japoneses em Nomonhan pediram ajuda, e ela veio com as tropas do 64º regimento, com carros leves e tropas de infantaria.

Inicialmente, conseguiram expulsar os russos e mongóis com as táticas dos manuais japoneses.

Mas os russos voltaram mais uma vez, liquidando o 64º em 28 de maio.

No mês de junho, japoneses e russos se enfrentaram esporadicamente, enquanto traziam mais tropas.

O número de combatentes, que se mediam antes em dezenas (foram 97 mortos na destruição do 64º regimento), logo chegou a milhares. Em 1º de julho, os japoneses lançaram um assalto noturno em larga escala, com 75 tanques.

Apesar de sérios problemas de comunicação (os tanques chegaram muito antes da infantaria), os japoneses expulsaram os russos para o outro lado do rio. Mas isso durou pouco.

Os russos contra-atacaram com 186 tanques e 233 carros blindados, dominando novamente as duas bordas do rio no dia 3. Os tanques japoneses, com blindagem e armas inferiores, foram trucidados pelos tanques soviéticos.

Após mais duas semanas de impasse, no dia 23 de julho, os japoneses montaram outro grande ataque, com mais tanques, aviões e artilharia. Dessa vez, sua inferioridade tecnológica, logística e tática tornou-se gritante: a artilharia japonesa não conseguiu alcançar a russa para silenciá-la - os soldados japoneses marcharam sob tiros de artilharia e canhões e, por mais corajosos que fossem, morriam antes de alcançar os russos.

Os aviões japoneses venciam os soviéticos no ar, mas o simples fato de terem de enfrentá-los, em vez de dar suporte à infantaria, diminuiu sua utilidade. Cinco mil soldados morreram antes que os japoneses desistissem do ataque.

Os japoneses fortificaram-se na retaguarda, enquanto tentavam preparar uma nova investida.

O comandante soviético Georgy Zhukov, que mais tarde se tornaria o grande herói da defesa de Stalingrado, tinha uma carta na manga: contrariando tudo o que os japoneses esperavam, ele seria criativo.

Em 20 de agosto, simulou um ataque frontal de infantaria, com 57 mil homens contra os cerca de 30 mil japoneses que resistiam.

Era o tipo de coisa que os japoneses esperavam dos russos: força bruta, mas previsibilidade.

Enquanto isso, 577 caças e bombardeiros os sobrevoavam constantemente, mesmo sem atirar.

O objetivo era fazer barulho: sem que os japoneses percebessem, 498 tanques russos os cercavam pelo sul, enquanto parte da infantaria se movia silenciosamente pelo norte.

Os japoneses acabaram totalmente cercados, mas, seguindo os preceitos da honra militar nipônica, recusaram-se a se render.

Em 31 de agosto, passaram para o outro lado da fronteira estabelecida pelos soviéticos, e Zhukov considerou sua missão cumprida.

O general Michitaru Matsubara planejava mais um contra-ataque quando, no dia 16 de setembro, recebeu a notícia de que sua guerra estava encerrada.

Tóquio havia feito um acordo de paz com os soviéticos.

Além do fracasso na batalha, pesou na decisão do comando japonês o fato de que a Alemanha também havia acabado de assinar um armistício com os soviéticos.

O tratado de Molotov-Ribbentrop, firmado em 23 de agosto de 1939, garantiu a paz entre os dois países e fez com que a Polônia fosse dividida em duas partes após a invasão pelos alemães, em 1º de setembro.

O governo japonês considerou o pacto uma traição de seus aliados nazistas, mas qualquer plano de enfrentar a União Soviética ia por água abaixo com ele.

Segundo Edward Drea, os japoneses consideravam os soviéticos seus "inimigos naturais" desde a vitória em 1905.

A questão não era se atacariam a União Soviética, mas quando.

A ideologia japonesa tinha o característico socialismo de direita de Hitler e Mussolini, isto é, grandes programas sociais, mas também grandes corporações nacionais apoiadas e controladas pelo governo - nada de livre mercado. Como o fascismo à europeia, era radicalmente anticomunista.

Havia duas doutrinas sobre como abordar a questão soviética. A chamada nanshin-hon ("atacar ao sul"), defendida pelos líderes da Marinha e do Exército em Tóquio, consistia em conquistar colônias e recursos no oceano Pacífico e depois focar a Ásia continental e a União Soviética.

E havia a doutrina hokushin-hon, ("atacar ao norte"), defendida principalmente por oficiais do Exército de Kwangtung e por anticomunistas mais radicais, como o ex-ministro da guerra Sadao Araki (1877-1966).

Essa corrente previa cortar as linhas de suprimentos soviéticos ao norte da Mongólia e conquistar o leste da Rússia, principalmente a cidade de Vladivostok.

A derrota japonesa em Khalkhin Gol tornou claras suas deficiências em terra e na produção de tanques - e enterrou a ala hokushin-hon. Além disso, depois do episódio, o general Matsubara foi levado a Tóquio e aposentado - uma imensa desonra.

Do outro lado do mundo, o acordo Molotov-Ribbentrop se provaria uma farsa.

Em 22 de junho de 1941, Hitler invadiu a União Soviética, a começar pelos territórios que a própria URSS havia ganho com o acordo, como o nordeste da Polônia.

O Japão, no entanto, preferiu não intervir. Tinha outros planos: em 7 de dezembro de 1941, a partir de seis porta-aviões, decolaram 373 caças, bombardeiros e torpedeiros.

Dirigiam-se a Pearl Harbor, no Havaí, e sua missão era aniquilar a maior parte das tropas americanas no oceano Pacífico.

Os EUA perderam quatro encouraçados e dois destróieres, além de 188 aviões e 2402 soldados. Vários navios, danificados, levariam meses para sair novamente do estaleiro.

Os americanos não estavam em guerra com o Japão e a Alemanha, e a opinião pública era maciçamente contra o envolvimento numa guerra que era vista como assunto interno europeu. No dia seguinte, no entanto, eles declararam guerra ao Japão e, em 11 de dezembro, Itália e Alemanha declararam guerra aos EUA.

Se o Japão tivesse atacado a União Soviética no verão de 1941, o choque de uma guerra de dois fronts poderia ter feito os soviéticos desabarem (o outro front era o efetivo enfrentamento contra os alemães).

Sem os Estados Unidos na guerra, os parceiros do Eixo seriam capazes de garantir um acordo de paz, criando uma União Soviética enfraquecida e fragmentada , diz Drea.

Esse cenário facilitaria a vitória final de Hitler. Sem Khalkhin Gol, o mundo poderia ser outro. Provavelmente, pior.

A derrota japonesa

Plano era invadir a URSS pelo sul

[Imagem: mapa-bat-ah-94.jpg]

Pouco antes do início oficial da Segunda Guerra, o Japão, já aliado da Alemanha nazista, planejava usar a Mongólia como plataforma para chegar à União Soviética, abrindo um front no sul do país.

Para isso, enviou à região de Nomonhan, na Mongólia, perto do rio Khalkhin, 75 mil homens, tanques e aviões.

Depois de quase quatro meses de luta, no fim de agosto, os soviéticos começaram a cercá-los, movendo seus 498 tanques pelos flancos, principalmente pelo sul do campo de batalha.

A infantaria atacou os japoneses de frente e pelo norte.

Atordoados pelo barulho dos 577 aviões inimigos que propositalmente voavam baixo, os japoneses não ouviram a aproximação dos tanques.

E foram inapelavelmente massacrados.

FONTE:http://guiadoestudante.abril.com.br/aven...4407.shtml

E agora vou postar dois vídeos da batalha de STALINGRADO , que para mim foi um marco da RESISTÊNCIA SOVIÉTICA aos poderosos Alemães da época !








Espero que vcs gostem dos vídeos !!!
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a John Dickinson pelo seu post:
mr.newface (10-05-2014), tarcardoso (05-05-2014)
05-05-2014, 09:05 PM (Resposta editada pela última vez em: 05-05-2014 09:12 PM por UltraRealista.)
Resposta: #9
RE: A guerra não declarada contra a História
KKKKKKKKKKKKKKK @Urtiga , olha aí o que a gente estava falando... compensa responder o que o/a usuário(a) Tarcardoso colocou ali em cima?

"Stalin transformou um país medieval na maior potência do mundo."

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Sim sim... a QUÊ custo ? Pra QUEM ? Até onde eu sei, a maioria continuava passando fome mesmo quando a URSS era uma "superpotência".
Primeiro que você nem sabe o que você está falando, da onde você tirou essas informações se a "muralha de ferro" evitava que qualquer tipo de informação vazasse? 2, você como ser humano acha tranquilo uma superpotência a custo de milhões de vidas? Se sua mãe fosse uma das escravas que morriam no frio congelante da Sibéria apenas para um Russo mostrar seu poderio militar, acho que você não pensaria assim, mas é aquele negócio " Não é comigo, to nem aí."

Se a URSS era tão boa assim, por quê houve uma imigração gigantesca do lado de lá da Alemanha para o lado de cá? Propaganda capitalista? Acho que não einh? Era tudo bloqueado! =D

Quanto a Pearl Harbor todo mundo que não confia apenas nos livros do ensino médio de história, sabe que foi estratégia dos EUA para entrar na segunda guerra mundial. Deixaram as sucatas no pacífico e levaram o que prestava mesmo para o atlântico. Três dias antes do ataque, o serviço de inteligência da Austrália avisou os EUA sobre o deslocamento da frota japonesa para Pearl harbor... o que eles fizeram ? Nada, deixaram la para serem atacados, para ganhar o aval do povo e entrar de verdade na guerra.

"O problema com o mundo é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, enquanto os estúpidos estão cheios de confiança"
Charles Bukowski
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 1 usuário disse obrigado a UltraRealista pelo seu post:
Urtiga (05-05-2014)
05-05-2014, 09:15 PM
Resposta: #10
RE: A guerra não declarada contra a História
(05-05-2014 09:05 PM)UltraRealista Escreveu:  KKKKKKKKKKKKKKK @Urtiga , olha aí o que a gente estava falando... compensa responder o que o/a usuário(a) Tarcardoso colocou ali em cima?

"Stalin transformou um país medieval na maior potência do mundo."

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Sim sim... a QUÊ custo ? Pra QUEM ? Até onde eu sei, a maioria continuava passando fome mesmo quando a URSS era uma "superpotência".
Primeiro que você nem sabe o que você está falando, da onde você tirou essas informações se a "muralha de ferro" evitava que qualquer tipo de informação vazasse? 2, você como ser humano acha tranquilo uma superpotência a custo de milhões de vidas? Se sua mãe fosse uma das escravas que morriam no frio congelante da Sibéria apenas para um Russo mostrar seu poderio militar, acho que você não pensaria assim, mas é aquele negócio " Não é comigo, to nem aí."

Se a URSS era tão boa assim, por quê houve uma imigração gigantesca do lado de lá da Alemanha para o lado de cá? Propaganda capitalista? Acho que não einh? Era tudo bloqueado! =D

Quanto a Pearl Harbor todo mundo que não confia apenas nos livros do ensino médio de história, sabe que foi estratégia dos EUA para entrar na segunda guerra mundial. Deixaram as sucatas no pacífico e levaram o que prestava mesmo para o atlântico. Três dias antes do ataque, o serviço de inteligência da Austrália avisou os EUA sobre o deslocamento da frota japonesa para Pearl harbor... o que eles fizeram ? Nada, deixaram la para serem atacados, para ganhar o aval do povo e entrar de verdade na guerra.

Meus caros colegas @UltraRealista e @tarcardoso , não vale apena .

Se querem discutir , discutam mostrando fatos , e não " SARCASMO , IRONIA " ou qualquer outra coisa .

O tópico criado por " MIM " é para outros afins !!!
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 3 usuários diz(em) obrigado a John Dickinson pelo seu post:
mr.newface (10-05-2014), tarcardoso (05-05-2014), UltraRealista (05-05-2014)
Irrigador Nasal Lota pelo menor preço você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais
Responder 


Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas Visualizações: Última Resposta
Exclamation (Importante) III Guerra Mundial GU4RD1ÃO 661 418,091 26-09-2017 01:04 PM
Última Resposta: Nikoloz
  High Hitler: Como o uso de drogas mudou o desfecho da 2ª Guerra Daia 2 6,289 12-09-2017 03:03 PM
Última Resposta: Daia
  Força Aérea dos EUA se prepara para guerra espacial DeOlhOnafigueira 4 992 22-06-2017 05:28 AM
Última Resposta: jonas car
Exclamation Surto de Compras Atinge o Japão Devido uma Possível Guerra Doc S 13 2,170 29-04-2017 06:36 AM
Última Resposta: want_to_believe
Exclamation Kremlin diz que os EUA Está "A um Passo da Guerra" Doc S 16 2,915 11-04-2017 08:58 PM
Última Resposta: Profeta do Apocalipse

Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes
Tópicos relacionados...

Publicidade:
Loja de Produtos Naturais Tudo Saudável

Recomende o Fórum


Sites Associados: Dossiê Vacina HPV
Registro de Efeitos Adversos das Vacinas
Rastreando Chemtrails
Site Notícias Naturais
Fórum Notícias Naturais Blog Anti-Nova Ordem Mundial

Pesquisar

(Pesquisa Avançada)

Olá, Visitante
Olá Visitante!
Para participar do fórum, é necessário se Registrar.



  

Senha
  





Usuários Online
Existem no momento 157 usuários online.
» 3 Membros | 154 Visitantes
Boa Bess, marcosarierom, Zunim

Estatísticas do Fórum
» Membros: 20,030
» Último Membro: Storyv
» Tópicos do Fórum: 24,520
» Respostas do Fórum: 262,741

Estatísticas Completas

Tópicos Recentes
General fala em possibilidade de intervenção
Última Resposta Por: CaféSemAçúcar
Hoje 03:31 PM
» Respostas: 137
» Visualizações: 7527
Sem o consentimento dos pais, escolas vem dando aula de sexo explícito
Última Resposta Por: Boa Bess
Hoje 03:31 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 7
Ex-Pussycat Dolls denuncia abusos e diz que banda era 'rede de prostituição'
Última Resposta Por: Guigo Xavier
Hoje 10:22 AM
» Respostas: 3
» Visualizações: 646
Avon: Não chame sua filha de princesa
Última Resposta Por: AlexSleipnir
Hoje 10:13 AM
» Respostas: 10
» Visualizações: 989
Trump “anti-nova ordem mundial” é mais uma fraude e desinformação contra o cidadão
Última Resposta Por: pequeno gafanhoto
Hoje 09:35 AM
» Respostas: 104
» Visualizações: 18297
“O Homem é o Lobo do Homem”
Última Resposta Por: Guigo Xavier
Hoje 08:01 AM
» Respostas: 8
» Visualizações: 859
Boicotando a Globo
Última Resposta Por: Branco
Hoje 02:09 AM
» Respostas: 26
» Visualizações: 4483
banco SATANder promovendo ideologia de gênero, pedofilia, zoofilia e zombando Cristo
Última Resposta Por: jonas car
Ontem 10:09 PM
» Respostas: 115
» Visualizações: 8298
Donald Trump: candidato anti-NOM ?
Última Resposta Por: ked
Ontem 10:03 PM
» Respostas: 69
» Visualizações: 10884
Últimos acontecimentos ONLINE
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 05:09 PM
» Respostas: 562
» Visualizações: 133891
Michel Temer assumindo a presidência do Brasil?
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 05:08 PM
» Respostas: 39
» Visualizações: 18480
Michel Temer contra a Lava Jato
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 05:07 PM
» Respostas: 14
» Visualizações: 2055
Ataque,hipotético False Flag Terrorista(Las Vegas),causa a maior confusão da história
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 02:52 PM
» Respostas: 25
» Visualizações: 3690
Estado Islâmico (EI ou ISIS) por Célio Pezza
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 01:57 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 1329
Ideologia de gênero guela abaixo
Última Resposta Por: Vitoreli
Ontem 12:56 PM
» Respostas: 7
» Visualizações: 480
Incêndios em Portugal,Separatismo catalão - Ações globalistas?
Última Resposta Por: pequeno gafanhoto
Ontem 09:32 AM
» Respostas: 2
» Visualizações: 432
Pedofilia disfarçada de arte se alastrando
Última Resposta Por: AlexSleipnir
Ontem 09:30 AM
» Respostas: 48
» Visualizações: 4875
Ideologia de Gênero - Confusão a ser Aprovada até 24 de Junho?
Última Resposta Por: Bogoton
18-10-2017 07:45 PM
» Respostas: 46
» Visualizações: 11118
Terra Chata? Uma Nova Teoria sobre o Polo Sul
Última Resposta Por: Elenin20182024
18-10-2017 04:56 PM
» Respostas: 382
» Visualizações: 66581
Brasil Paralelo
Última Resposta Por: Delta Camixy
18-10-2017 12:37 PM
» Respostas: 7
» Visualizações: 3899
Algumas músicas anom
Última Resposta Por: Delta Camixy
18-10-2017 12:30 PM
» Respostas: 122
» Visualizações: 21092
Estradas em Volta do Vulcão Yellowstone Estão Derretendo
Última Resposta Por: Elenin20182024
18-10-2017 12:15 PM
» Respostas: 10
» Visualizações: 6336
Estranha movimentação em Yellowstone
Última Resposta Por: Elenin20182024
18-10-2017 12:14 PM
» Respostas: 24
» Visualizações: 11444
Comerciais do Fim do Mundo
Última Resposta Por: jonas car
18-10-2017 02:16 AM
» Respostas: 22
» Visualizações: 5441
A Conspiração do Petróleo
Última Resposta Por: Elenin20182024
17-10-2017 11:11 PM
» Respostas: 5
» Visualizações: 2075
2014 - Começa os Sinais do Fim dos Tempos (Criado Pelo Próprio Homem)
Última Resposta Por: Elenin20182024
17-10-2017 03:37 PM
» Respostas: 53
» Visualizações: 46378
O Primogênito. O Unigênito - Simbolismo.
Última Resposta Por: jonas car
16-10-2017 06:48 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 693
A personalidade de nome MABUS
Última Resposta Por: Iolanda de Balboa
15-10-2017 05:47 PM
» Respostas: 33
» Visualizações: 35975
MEGA TÓPICO - COREIA DO NORTE: Centralização de Notícias importantes
Última Resposta Por: Doc S
14-10-2017 10:53 PM
» Respostas: 365
» Visualizações: 32834
IA o Exterminador do futuro?!
Última Resposta Por: Bogoton
14-10-2017 06:59 AM
» Respostas: 22
» Visualizações: 5231

Lista completa de tópicos

Divulgue o fórum em seu site!

Camisetas:
camisetas resista à nova ordem mundial