Óleo de Coco Extra Virgem pelo menor preço é na Tudo Saudável



Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 1 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Amazônia brasileira.
29-08-2019, 10:38 AM
Resposta: #1
Amazônia brasileira.
NOSSA AMAZÔNIA É A MARIELLE DA VEZ NAS TELINHAS DA GLOBO
por Percival Puggina. Artigo publicado em 23.08.2019

No ano passado fui fazer uma palestra em Belém. Enquanto estive lá. ouvi relatos alarmantes sobre a apropriação das riquezas naturais da região por entidades estrangeiras. É raro algum empreendimento nacional patentear produto com origem local que já não tenha registro concedido fora do país. É voz corrente que essa atividade constitui o objetivo de boa parte das ONGs que ali se concentram, acotovelam, disputam e conquistam território. Estimam as autoridades militares que cem mil dessas organizações atuam na região, o que faria dela uma das mais bem cuidadas do planeta. Não é de qualquer nacionalista fanático o cálculo nem o diagnóstico nesta matéria do G1:

“Grande parte dessas ONGs não está a serviço de suas finalidades estatutárias. Muitas delas escondem interesses relacionados à biopirataria.” (Tarso Genro, ministro da Justiça, em 24 de abril de 2008).

Inaceitável a conduta de quem, tendo poder de comunicação, reproduziu a denúncia chocha do ex-ministro como quem relatasse uma banalidade. Onze anos mais tarde, o Brasil com cérebro não lesado aplaudiu calorosamente a iniciativa do governo Bolsonaro para exercer efetivo controle sobre a atividade e recursos disponibilizados a tais grupos pela União. Dinheiro nosso para custear ações contrárias ao nosso interesse? Eu me levanto e aplaudo de pé quem a isso se oponha. A aplicação de recursos públicos – qualquer aplicação – deve obedecer ao interesse do país e não às simpatias dos opositores políticos nacionais e internacionais.

Perante algo tão alardeado e grave, tão provável quanto previsível, qual a matéria que a Globo e outros grandes veículos nacionais produziram, nesses anos todos, em defesa do interesse brasileiro na Amazônia? Que jornalismo é esse que esquece o fato e foge da notícia para cantar qual galo na madrugada da crise? Na entrevista de ontem pela manhã, 22 de agosto, Bolsonaro profetizou o que a Globo News faria mais tarde: a emissora recortou da entrevista o que não lhe servia e torceu o restante de modo a causar dano ao governo e ao país, ou seja, fez exatamente o que o presidente disse que ela faria. A emissora escondeu o prognóstico sobre a má linha editorial que iria adotar e adotou, e apresentou a matéria manipulando o que Bolsonaro falou a respeito do alheamento dos governadores da região e sobre as suspeitas que recaem sobre as contrariadas ONGs. Transformou-as em acusações diretas que ele não fez. Quem não sabe que há corruptos nacionais, inimigos políticos locais e pesados interesses externos atuando no salve-se quem puder regional?

Florestas são lugares expostos a incêndio. Por isso, projetos de reflorestamento operam com vigilância permanente, torres de observação e brigadas de incêndio. Não é possível fazer isso na Amazônia, uma floresta maior do que os 28 países da União Europeia. Neste momento, inúmeros focos incendeiam meio milhão de hectares na Bolívia; e a culpa é do Evo Morales? Há incêndios florestais de grande porte (33 mil quilômetros quadrados) na Sibéria e a culpa é do Putin? Outro de proporções menores, mas de significativo alcance, acontece na ilha Gran Canária, obrigando a remoção de 9 mil pessoas. E de quem é a “culpa”?

Aqui no Brasil, muitos meios de comunicação jogam contra o interesse nacional. Sugerem que ONGs apagam incêndio e zelam pela floresta... Colocam seus rancores acima da verdade e do bem da nação brasileira. Cuidam de colocar fogo e fumaça no colo de quem preside a República há sete meses e adotou, em relação às ONGs da região, providências corretíssimas. Repito: corretíssimas!

Dão oxigênio a Macron e Merkel que perderam as eleições de maio passado. Põem fogo na queimada, alimentam o intervencionismo estrangeiro, servem a mesa ao neocolonialismo e aos anseios pela internacionalização da Amazônia, jogam oxigênio nas chamas de uma crise internacional contra o Brasil. Isso beira a indignidade e a traição. Nossa Amazônia é a Marielle da vez nas telinhas da Globo.

Deus seja louvado!
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a Marcelo Almeida pelo seu post:
Marck Vini (02-09-2019), rmuller (29-08-2019)
Manteiga Ghee pelo menor preço é na loja Tudo Saudável
29-08-2019, 12:36 PM
Resposta: #2
RE: Amazônia brasileira.
(29-08-2019 10:38 AM)Marcelo Almeida Escreveu:  “Grande parte dessas ONGs não está a serviço de suas finalidades estatutárias. Muitas delas escondem interesses relacionados à biopirataria.” (Tarso Genro, ministro da Justiça, em 24 de abril de 2008).
Frase coerente e é verdade

Pena que não temos gente coerente no governo atual.
Para Bolsonaro, TODAS ONGs são nefastas e devem ser expulsas do país.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a Xevious pelo seu post:
Neo1 (30-08-2019), Rox Extreme (29-08-2019)
02-09-2019, 07:17 PM (Resposta editada pela última vez em: 02-09-2019 07:20 PM por Bruna T.)
Resposta: #3
RE: Amazônia brasileira.
Sem esforço ou dinheiro: Amazônia recupera 58% das áreas degradadas sozinha

[Imagem: 2019-09-02-18-11-05-www-gazetadopovo-com...6142db.png]

Se de um lado a mata pega fogo, de outro ela se recupera, ainda que parcialmente. Entre 2004 e 2014, a área de vegetação secundária que se desenvolveu na região depois de derrubadas de árvores cresceu de menos de 100 mil km² para mais 170 mil km², e sua participação saltou de 16,5% de 2004 para 22,8% para 2014. Foi um ganho, portanto, de 70 mil km².

É um número expressivo: representa 58% do total perdido no mesmo período para o desmatamento: 120 mil km² de mata primária.

Esses dados são relativamente recentes porque, até 2008, o Brasil simplesmente não conhecia a área de mata amazônica que se recuperou depois de queimadas e desmatamentos. Desde 1998, o governo contava com duas ferramentas, que não faziam essa medição. Desde 1988, quem fornece os dados para essa análise é o Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônia Brasileira por Satélite (Prodes). O sistema faz uma varredura anual que identifica áreas que, no ano anterior, eram mata, e localiza aquelas que foram derrubadas.

O problema desse método de medição é que, uma vez que determinada área era marcada como desmatada, essa identificação jamais era revista. Assim, ano após ano, as áreas desmatadas que foram recuperadas e voltaram a ter vegetação simplesmente não são identificadas pelo Prodes. O sistema é, portanto, cego para o fato de que parte considerável da Amazônia se recupera – uma pequena parte com ações de reflorestamento e a maioria graças à recuperação natural da floresta, que se inicia assim que as terras desmatadas são abandonadas.

Projeto TerraClass

Em complemento ao Prodes, o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), na ativa desde 2006, faz um rastreamento mais rápido, em busca de focos de incêndio e desmatamento enquanto eles acontecem, para garantir o acesso dos fiscais e do poder público. Mas o Deter parte da base de dados do Prodes, e por isso também não identifica terras regeneradas.

“O foco do Prodes sempre foi mapear o que foi desflorestado, as terras que passaram por todo o processo que começa com a extração da madeira de valor comercial e termina com o pecuarista retirando os restos de madeira e tocando fogo para produzir pasto”, explica Alexandre Coutinho, pesquisador da Embrapa há 30 anos. “O Deter identifica quando o processo de desmatamento está em andamento, para permitir que o Ibama envie fiscais para a área”.

Alexandre Coutinho é um dos coordenadores de um projeto realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), chamado TerraClass, que vem preenchendo essa lacuna desde 2010, ao medir as áreas da Amazônia cobertas por vegetação secundária. “Em 2008, aconteceu um embate enorme, dentro do governo, entre o Ministério da Agricultura e o Ministério do Meio Ambiente. O ministério do Meio Ambiente acusava a soja de provocar o desmatamento”. Foi quando surgiu a proposta de desenvolver o TerraClass, uma ferramenta capaz de mapear o uso das terras que foram desflorestadas.

Lançado em 2016, o relatório mais recente do projeto, baseado em dados de 2014, chegou a uma conclusão expressiva: em 2014, 22,9% desmatada na Amazônia brasileira ao longo de sua história continha indício de regeneração. “Continuamos olhando para a área que já foi desflorestada, para analisar a ocupação. Esse trabalho permite identificar, por exemplo, se a soja produzida na Amazônia vem de regiões onde é permitido plantar”, afirma Coutinho, que coordena e executa projetos de pesquisa relacionados ao desenvolvimento e aplicação de geotecnologias para o monitoramento e gestão territorial da agricultura.

Mais vegetação

O projeto identificou que a expansão da agricultura na região aconteceu principalmente sobre terras desmatadas antes de 2008 e também sobre áreas antes utilizadas para pasto. Ou seja, em geral, não são os agricultores que desmatam, são os pecuaristas. Do total de áreas desmatadas, 60% viraram pasto. Das terras que perderam a vegetação, apenas 0,42% foi posteriormente reflorestado.

Quando se analisa um período mais curto, entre 2008 e 2012, em que o desmatamento estava em queda acelerada, as áreas em regeneração (equivalentes a 113 mil km²) se mostraram 2,5 vezes maiores do que o total desmatado no mesmo período, 44 mil km² .

“A regeneração tropical, portanto, geralmente passa despercebida e os números oficiais para a taxa de desmatamento na Amazônia não incluem a perda de vegetação secundária”, conclui o estudo Como Interpretar o Aumento da Regeneração na Amazônia Brasileira?, realizado pela Iniciativa para o Uso da Terra em parceria com o Climate Policy Initiative.

O estudo faz uma ressalva: “Ainda que a regeneração da Amazônia traga grandes expectativas, é importante frisar que florestas secundárias não são necessariamente equivalentes às florestas primárias em termos biológicos ou ecológicos”. Afinal, a mata secundária surge rapidamente, um ano depois que a atividade econômica sobre a terra acaba, mas precisa de, pelo menos, vinte anos para recuperar as características da vegetação original.

Fiscalização

“Como não existe uma política ativa de reflorestamento na Amazônia, acredita-se que a mata se recupera de forma passiva”, afirma Clarissa Gandour, uma das autoras do estudo, doutora em economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e que, no Climate Policy Initiative, coordena a agenda de pesquisa sobre proteção de vegetação nativa.

“A floresta tropical tem condições que a permitem se regenerar sozinha. É diferente da Mata Atlântica, que perdeu tanto de sua vegetação primária que não consegue se recuperar mais. Todo esse ganho de recuperação aconteceu sem nenhum incentivo. Imagine se houvesse um cuidado maior em monitorar, proteger e regenerar a Amazônia?”.

Mas por que desmatar uma área e depois ir embora tão rápido? E mais: não seria mais vantajoso desmatar novamente uma área que já está em recuperação, e que não é monitorada pelo Prodes e pelo Deter? Os dados de satélite não fornecem respostas, mas Clarissa Gandour apresenta uma hipótese: “Tudo indica que a maior presença da fiscalização inibiu a atuação e levou os desmatadores a abandonar as áreas, que se regeneraram”. Ou seja: a fiscalização tem um benefício duplo: reduz o ataque à mata primária e também à secundária. Por outro lado, uma redução na fiscalização prejudicaria tanto as áreas monitoradas quanto as não monitoradas.

Para Alexandre Coutinho, há também uma questão fundiária. “Diferente do cerrado, a Amazônia tem uma dificuldade muito grande para mapear as terras, identificar as divisas. Às vezes o proprietário abre a floresta simplesmente para demarcar o limite da área dele”, afirma. “Outras pessoas desmatam e tentam vender para pecuarista e não conseguem. Não é um mercado regulamentado, nem com dinheiro. Quem derruba muitas vezes não é dono da terra, ele abre para vender. Se não consegue vender, abandona. É um processo calcado na ilegalidade.”.

Enquanto a mata se recupera parcialmente, outro estudo, o relatório Restauração de Paisagens e Ecossistemas, produzido pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES) e pelo Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS) com base no trabalho de 45 pesquisadores de 25 instituições, aponta para a importância econômica da preservação e recuperação da vegetação nativa: essa atividade poderia criar 2 milhões de empregos em dez anos.

Parceria com agricultura

O documento aponta a importância econômica da parceria entre produção agrícola, pecuária, conservação e restauração. Afinal, em trinta anos, o país perdeu 70 milhões de hectares de vegetação nativa, e boa parte dessa área, equivalente ao território do Chile, é hoje formada por terras mal utilizadas para a produção econômica.

Segundo o estudo, ampliar a produtividade média da pecuária brasileira, de 4,4 para 9 arrobas por hectare por ano, possibilitaria a recuperação de 12 milhões de hectares de vegetação nativa e a liberação de 30 milhões de alqueires para a agricultura, alcançando as metas nacionais de produção de alimentos.

Na Amazônia em específico, em 15 anos seria necessário aumentar a produtividade da agricultura, de 46% para 63 a 75% de seu potencial sustentável, para garantir, ao mesmo tempo, a melhoria da produção agrícola e florestal e, por outro lado, o desmatamento ilegal zero e a recuperação a vegetação nativa. Para a região, o relatório pede a regeneração natural com restauração com aproveitamento econômico, de forma a fomentar a cadeia produtiva da restauração, a silvicultura de espécies nativas e a implementação de sistemas agroflorestais.

“A adequação ambiental das paisagens rurais no Brasil deve ser o objetivo de políticas públicas específicas, pois permitirá grandes ganhos ao garantir a conservação e o provimento de serviços ecossistêmicos para os agricultores e a sociedade, e promover a melhoria da qualidade de vida dos agricultores”, afirma o estudo.

“Isto se dará principalmente por meio da redução de custos, do aumento de produção, da resiliência climática e da diversificação da renda, contribuindo, assim, para a reversão do êxodo rural”. Esse processo poderia acontecer com a reconversão de parte das áreas agrícolas em ecossistemas nativos, com o objetivo de obter benefícios comerciais da produção nas áreas de maior aptidão agrícola. “Uma agricultura sustentável depende de solo, de água, de inimigos naturais de pragas, de polinizadores, que são serviços ecossistêmicos fornecidos pela restauração e por formações naturais”, afirma Ricardo Ribeiro Rodrigues, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo. “Isso pode ocorrer através da certificação ambiental da produção que cumpre as leis ambientais e essa certificação proporcionar novos mercados ou preços melhores, aumentando renda da propriedade e assim facilitando recursos para restauração”.

FONTE: https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/s...s-sozinha/

(29-08-2019 10:38 AM)Marcelo Almeida Escreveu:  “Grande parte dessas ONGs não está a serviço de suas finalidades estatutárias. Muitas delas escondem interesses relacionados à biopirataria.” (Tarso Genro, ministro da Justiça, em 24 de abril de 2008).

Leitura interessante, aconselho:

"15.900 ONGs atuam na Amazônia. Maior parte delas, dedicada à religião"
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 1 usuário disse obrigado a Bruna T pelo seu post:
Marck Vini (02-09-2019)
Responder 


Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas Visualizações: Última Resposta
  Amazônia e a Nova Ordem Mundial Bruna T 3 342 28-08-2019 04:06 PM
Última Resposta: ULTRON
  Mídia brasileira por Olavo de Carvalho Marcelo Almeida 15 2,139 02-02-2019 11:44 PM
Última Resposta: questionando
  Triplo A: a nova ameaça à soberania brasileira na Amazônia John Dickinson 10 8,036 31-07-2018 09:02 PM
Última Resposta: Beobachter
  Proclamação da República Brasileira dos Rothschild Guigo Xavier 10 5,673 25-03-2018 06:31 PM
Última Resposta: ULTRON
  George Soros e a CIA por trás da Revolução Popular Brasileira admin 18 12,850 24-10-2017 02:39 PM
Última Resposta: Elenin20182024

Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes
Tópicos relacionados...

Publicidade:
Loja de Produtos Naturais Tudo Saudável

Recomende o Fórum


Sites Associados: Dossiê Vacina HPV
Registro de Efeitos Adversos das Vacinas
Rastreando Chemtrails
Site Notícias Naturais
Fórum Notícias Naturais Blog Anti-Nova Ordem Mundial

Pesquisar

(Pesquisa Avançada)

Olá, Visitante
Olá Visitante!
Para participar do fórum, é necessário se Registrar.



  

Senha
  





Usuários Online
Existem no momento 81 usuários online.
» 0 Membros | 81 Visitantes

Estatísticas do Fórum
» Membros: 21,194
» Último Membro: A Resistência
» Tópicos do Fórum: 26,322
» Respostas do Fórum: 280,298

Estatísticas Completas

Tópicos Recentes
Ex-Presidente brasileiro Temer diz que destituição de Dilma Rousseff foi golpe.
Última Resposta Por: Velho Druida
Hoje 04:46 AM
» Respostas: 2
» Visualizações: 50
Últimos acontecimentos ONLINE
Última Resposta Por: CaféSemAçúcar
Hoje 02:56 AM
» Respostas: 1385
» Visualizações: 241894
O Estatuto dos Animais e Sua Liberdade.
Última Resposta Por: DeOlhOnafigueira
Hoje 02:35 AM
» Respostas: 38
» Visualizações: 3869
O Homem foi a Lua?
Última Resposta Por: jonas car
Ontem 11:36 PM
» Respostas: 204
» Visualizações: 55828
A campanha de ódio, mentiras e desinformação contra a ativista Greta Thunberg
Última Resposta Por: jonas car
Ontem 10:42 PM
» Respostas: 7
» Visualizações: 141
A engenharia social da pedofilia.
Última Resposta Por: jonas car
Ontem 10:29 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 110
Flávio Bolsonaro e o PT tem uma pauta em comum: enterrar a CPI da Lava Toga
Última Resposta Por: Diakonov
Ontem 08:55 PM
» Respostas: 7
» Visualizações: 287
Hélio-3: o combustível do futuro, uma razão para voltar à Lua
Última Resposta Por: Bruna T
Ontem 08:10 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 56
Rússia considera "inaceitável" resposta militar ao ataque na Arábia Saudita
Última Resposta Por: Bruna T
Ontem 07:48 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 126
Chefe indígena, defensor da Amazónia, sugerido para Nobel da Paz 2020
Última Resposta Por: dyego.jhou
Ontem 06:34 PM
» Respostas: 11
» Visualizações: 192
Será que protestar nos leva a algum lado?
Última Resposta Por: ruicoelho
Ontem 05:29 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 77
Greenpeace protesta do lado de fora do Salão Automóvel de Frankfurt contra a poluição
Última Resposta Por: Bruna T
Ontem 12:51 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 136
CPI da Lava Jato, vingança que afronta a Constituição
Última Resposta Por: Bruna T
Ontem 11:49 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 41
[VIDEO] 11 de Setembro: Uma Teoria da Conspiração (em cinco minutos)
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
Ontem 10:30 AM
» Respostas: 40
» Visualizações: 32096
FMI propõe fundo de US$100 bilhões contra aquecimento global
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
Ontem 09:26 AM
» Respostas: 9
» Visualizações: 5432
Fake News: Céu de São Paulo fica escuro por causa das queimadas na Amazônia
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 09:34 PM
» Respostas: 21
» Visualizações: 1601
Taiwan pede à China que cesse hostilidades em seus laços com a ilha
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 07:52 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 264
Que tipo de informação é vazada pelo seu navegador?
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 07:41 PM
» Respostas: 6
» Visualizações: 674
Edward Snowden: O maior perigo ainda está por vir, com os aprimoramentos de IA
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 07:40 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 110
Justiça gasta R$ 4,3 bilhões com dinheiro extra para juízes e desembargadores
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
16-09-2019 03:20 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 101
Google no banco dos réus? O cerco se fecha sobre as gigantes de tecnologia
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 12:44 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 52
Por que o socialismo não funciona?
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 12:39 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 52
2.246 bebês abortados foram encontrados na casa de um abortista
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 12:31 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 56
A Santa Sé no Clube Bilderberg?
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 11:39 AM
» Respostas: 4
» Visualizações: 444
Ataque à Aramco pode afetar cerca de 5% da produção mundial de petróleo bruto
Última Resposta Por: Bruna T
16-09-2019 11:17 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 46
Sinto, logo existo.
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
16-09-2019 10:13 AM
» Respostas: 29
» Visualizações: 4397
Cristina Martín, a mulher que desmascarou o clube Bilderberg
Última Resposta Por: Bruna T
14-09-2019 03:57 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 101
O experimento mais avançado do Big Brother da China é uma bagunça burocrática
Última Resposta Por: Bruna T
14-09-2019 03:56 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 72
EUA sancionam hackers norte-coreanos pelo Swift hack, WannaCry e outros ataques
Última Resposta Por: Bruna T
14-09-2019 03:55 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 57
Mais um produto falsificado Made in China: a democracia vendida por Pequim
Última Resposta Por: Bruna T
14-09-2019 03:54 PM
» Respostas: 6
» Visualizações: 247

Lista completa de tópicos

Divulgue o fórum em seu site!

Camisetas:
camisetas resista à nova ordem mundial