Balas de Colágeno pelo melhor preço é na Tudo Saudável


Atualizações: Operação Jade Helm

Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 2 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
13-11-2017, 02:45 PM (Resposta editada pela última vez em: 13-11-2017 11:30 PM por Cimberley Cáspio.)
Resposta: #1
Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Por Cimberley Cáspio

   

O Brasil precisa ser refeito. Refazer a Nação de forma geral. O desprezo pela vida humana é uma prática monstruosa. Ha exceção? Claro que sim. Mas o bloco dos maus é muito grande e os recursos para praticar a maldade são vastos e enormes. E por mais que a exceção se faça notar, não tem força para virar esse quadro social de tamanha tragédia.

Se o ser humano não tiver um capital significativo, sua vida não valerá um níquel sequer. E mesmo tendo um capital significativo, se não tiver guarda-costas,ou, até mesmo tendo guarda-costas, a vida pode ser ceifada por uma traição, assalto, ou até mesmo uma emboscada.Fora isso, a vida dos demais brasileiros é útil para servir os ricos; útil para servir o mercado através do trabalho e consumo.

Nada contra os prósperos e abastados, mas contra a forma com que o serviçal é tratado. Há desprezo e discriminação. O próprio salário que o serviçal recebe, já é um flagrante da prática discriminatória; além de se alimentarem e ficarem em aposentos separados; que digam os jardineiros, motoristas, empregadas domésticas, porteiros, e até mesmo vigilantes.

Alguns são ricos, porque teve ajuda do pobre. Alguns permanecem ricos, devido o trabalho de um número significativo de pobres que trabalham com sacrifício para a cada dia dobrar mais e mais às riquezas de seus patrões. Outros são ricos devido manobras do sistema que os favorecem, e ao mesmo tempo, prejudicam uma legião dos menos favorecidos. Há também ricos que se tornaram prósperos devido o esforço pessoal, mas que foram ajudados pelo sistema. E outro grupo de abastados que ficaram ricos através do confisco ilegal dos direitos alheios, inclusive de herança.

Não sou contra a prosperidade, pelo contrário, acho justo que todos os homens tenham acesso à prosperidade, porém no mínimo, o que à Constituição determina: que é ganhar um salário mínimo que possa cobrir os custos de moradia,alimentação, escola, saúde e vestuário, o que não acontece. A Constituição proíbe à discriminação, mas na prática e de forma flagrante, ela acontece às claras e sem nenhum constrangimento. Exemplo:

Classe superior - ganha salário que cobre todas às determinações sociais básicas constitucionais, e ainda sobra um montão.

Classe dos servidores da classe superior - ganha salário que cobre todas às determinações sociais básicas, e sobra um pouco menos. Mas ainda assim, o salário permite sair de Brasília na hora do almoço e ir almoçar em Salvador.

Classe inferior - é a classe que serve não só à classe superior, como também seus servidores. Grande parte são terceirizados, como contínuos, garçons, camareiras, cozinheiros,porteiros, motoristas, jardineiros e vigilantes. Já o salário dessa gente na maioria das vezes, acaba antes de findar o mês, e grande parte está no SPC. Exatamente porque o salário não cobre o básico que se necessita para viver. E aí vai deixar de possuir o básico? Que se dane.

Classe dos comprovadamente pobres - essa classe só é lembrada em tempo de campanha eleitoral, passada às eleições, é matar um leão a cada dia. É luta acirrada pela sobrevivência, e muitas das vezes o leão sai vencedor. Geralmente na capela mortuária, são dois, três corpos velados no mesmo dia.

O Brasil precisa urgente de uma reforma moral e social. Voltar ao começo de tudo.
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 9 usuários diz(em) obrigado a Cimberley Cáspio pelo seu post:
Doc S (06-12-2017), Guigo Xavier (20-11-2017), Marck Vini (15-11-2017), marcosarierom (14-11-2017), Nelson Ferreira (14-11-2017), OfimDoComeço (14-11-2017), tarcardoso (14-11-2017), Vitoreli (14-11-2017), Zunim (14-11-2017)
Conheça o emagrecedor que está dando o que falar neste verão!
13-11-2017, 03:53 PM
Resposta: #2
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Concordo, mas qual atitude deve ser feita para mudar o que temos hoje? Estão ocorrendo manifestações em todo o Brasil nos dias 12 a 15 agora pedindo a intervenção militar para limpar os bandidos que tomaram conta do congresso e muitos não estão fazendo sua parte nesta nação. Estamos nas ruas estes dias clamando por mudanças, venha fazer parte desta mudança também. Senão ficar só reclamando não irá resolver. Esperar eleições para 2018 também não. Um milagre divino em 2020? esqueça. FAÇA ALGO AGORA, POIS AGORA É A HORA. DE UM PASSO PARA FRENTE E PEÇA A INTERVENÇÃO VOCÊ TAMBÉM.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 6 usuários diz(em) obrigado a pablo_hp pelo seu post:
Cimberley Cáspio (13-11-2017), Doc S (14-11-2017), Nelson Ferreira (06-12-2017), OfimDoComeço (14-11-2017), pequeno gafanhoto (13-11-2017), Zunim (14-11-2017)
14-11-2017, 08:10 AM
Resposta: #3
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Muito bom.

Acrescentaria a formação Brasileira.

País dos privilegiados, porem para entrar nessa cota de privilegiado tinha que ser Europeu e quanto mais rico melhor os regalos.

Homens negros e indígenas eram praticamente proibidos de casar, restavam então uma grande quantidade de mulheres que os europeus poderiam abusa-las, seduzi-las e engana-las ao bel prazer. Os padres e a coroa ficaram tão indignados com isso que chegaram a fazer condenação perpetua, em vão, os homens brancos europeus so faziam distanciar ainda mais dos costumes europeus e adentrar mais ainda em busca de mulheres e prestigio.

O romântico conto dos brasileiros: "meu bisavô pegou minha bisavó no laço" demonstra um pouco dessa quadro, mais ignora que em cada cartório registrava uma nova esposa.

E a ferida ate hoje não cicatrizada: a escravidão.

Para um bugre, um gentil, um Brasileiro de verdade, a escravidão era a "justa" exploração dos brancos civilizados cristãos aos bárbaros sem fé africanos.
Para os europeus, com seu vasto território colônia, era qualquer um que não faziam parte da metrópole.

Sem contar que quanto mais os brasileiro, os negros e os pobres europeus iam conquistando o Brasil, mais os ricos iam registrando essa terra em seu nome. Os primeiro (gentil, negros e pobres) enfrentava as adversidades, lutavam com índios, roubavam mulheres, amansavam a terra, depois chegava um privilegiado em São Paulo e registrava em seu nome uma grande porção de terra que ele nunca viu.

Sem contar a característica humana de culpar o jagunço, mais nunca o senhorzinho. O ódio vai contra a mão que bate, mais nunca contra quem deu a ordem.

Primeiro temos que nos livrar do nosso estado colonial, depois resolvendo nossas divergências internas.

Porem como nos libertar do império se dentro das nossas divergência interna ainda existem privilegiados que ganha por manter o Brasil em estado de colônia?

Ainda continuamos amansando a terra e a FIESP continua nos roubando e enviando nossa riqueza para o Império.

Volkswagen, Ford, Hyundai, Honda, Peugeout, Fiat agradecem.

E nos preocupados com o ladrão de galinha, ou pior, o nordestino bom vivam.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 7 usuários diz(em) obrigado a tarcardoso pelo seu post:
Cimberley Cáspio (14-11-2017), gonçalo ribas (14-11-2017), Guigo Xavier (20-11-2017), marcosarierom (14-11-2017), Nelson Ferreira (14-11-2017), OfimDoComeço (14-11-2017), Zunim (14-11-2017)
14-11-2017, 03:53 PM
Resposta: #4
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Em Portugal a situação e´parecida

DEUS escreve direito por linhas tortas
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a Nelson Ferreira pelo seu post:
marcosarierom (14-11-2017), OfimDoComeço (14-11-2017)
Irrigador Nasal Lota pelo menor preço você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais
19-11-2017, 07:28 PM
Resposta: #5
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
(14-11-2017 03:53 PM)Nelson Ferreira Escreveu:  Em Portugal a situação e´parecida

Em Portugal somente não, no MUNDO.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a pablo_hp pelo seu post:
marcosarierom (20-11-2017), Nelson Ferreira (20-11-2017)
19-11-2017, 09:23 PM
Resposta: #6
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Mas o Portugal em comparação com o Brasil não está tão ruim assim.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a Nikoloz pelo seu post:
marcosarierom (20-11-2017), Nelson Ferreira (20-11-2017)
20-11-2017, 12:52 PM
Resposta: #7
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
"SCRAVIDÃO E MODERNIDADE A escravidão concentrava-se nas partes mais modernas da economia e tornara-se menos relevante nos setores atrasados ou decadentes. Em 1887, o Ministério da Agricultura, em seu relatório anual, contabilizava a existência de 723.419 escravos no País. Desse total, a Região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo), produtora de café, abarcava uma população cativa de 482.571 pessoas. Todas as demais regiões respondiam por um número total de 240.848.

Ao mesmo tempo, o País passara a incentivar, desde 1870, a entrada de trabalhadores imigrantes – principalmente europeus – para as lavouras do Sudeste. É um período em que convivem, lado a lado, escravos e assalariados. Os números da entrada de estrangeiros são eloquentes. Segundo o IBGE, entre 1871 e 1880, chegam ao Brasil 219 mil imigrantes. Na década seguinte, o número salta para 525 mil. E, no último decênio do século XIX, após a Abolição, o total soma 1,13 milhão.

A implantação de uma dinâmica capitalista – materializada nos negócios ligados à exportação de café, como casas bancárias, estradas de ferro, bolsa de valores etc. – vai se irradiando pela base produtiva. Isso faz com que parte da oligarquia agrária se transforme numa florescente burguesia, estabelecendo novas relações sociais e mudando desde as características do mercado de trabalho até o funcionamento do Estado.

Para essa economia, o negro cativo era uma peça obsoleta. Além de seu preço ter aumentado após o fim do tráfico, em 1850, o trabalho forçado mostrava-se mais caro que o assalariado. Caio Prado Jr. (1907-1990), em seu livro História econômica do Brasil, joga luz sobre a questão:

“O escravo corresponde a um capital fixo cujo ciclo tem a duração da vida de um indivíduo; assim sendo, (...) forma um adiantamento a longo prazo do sobretrabalho eventual a ser produzido. O assalariado, pelo contrário, fornece este sobretrabalho sem adiantamento ou risco algum. Nestas condições, o capitalismo é incompatível com a escravidão”.

O economista João Manuel Cardoso de Mello escreve em seu O capitalismo tardio que:

“O trabalho assalariado se tornara dominante e o abolicionismo, a princípio um movimento social amparado apenas nas camadas médias urbanas e que fora ganhando para si a adesão das classes proprietárias dos Estados não-cafeeiros, na medida em que o café passara a drenar para si escravos de outras regiões, recebera, agora, o respaldo do núcleo dominante da economia cafeeira. Abolicionismo e Imigrantismo tornaram-se uma só e mesma coisa”.

CARA E OBSOLETA Esta condição – da escravidão ser uma relação de trabalho obsoleta – acentuou a necessidade de sua superação, tanto no plano econômico quanto no social e político.

A Abolição não era apenas uma demanda por maior justiça social, mas uma necessidade premente da inserção do Brasil na economia mundial, que já abandonara em favor do trabalho assalariado, mais barato e eficiente.

Um artigo publicado no semanário abolicionista Revista Illustrada, em 30 de abril de 1887, argumenta que a economia brasileira àquela altura já não dependia majoritariamente do trabalho servil:

“Pelos dados do Ministério da Agricultura, calcula-se que a cifra dos escravizados não chegue a 500 mil. Tirem-se as mulheres (50%), tirem-se os escravos das cidades, que nada produzem, e ver-se-á que o que fica para auxiliar a produção nacional é uma cifra tão irrisória, que podemos, com orgulho, afirmar, que a produção do nosso país já é devida aos livres”.

Os números não são exatamente iguais aos do Relatório do Ministério da Agricultura, já mencionado. Mas o comentário é digno de nota.

O fim do regime de cativeiro em São Paulo, em fevereiro de 1888, por exemplo, é ilustrativo. Às rebeliões de escravos ao longo da década de 1880 vieram se somar o formidável fluxo de mão-de-obra imigrante que chegava para a lavoura e para a incipiente indústria, inaugurando o regime de trabalho livre. A província já iniciara uma arrancada econômica – com a construção de ferrovias, instalação de casas bancárias e aumento das exportações – que a colocaria, na segunda década do século XX, na dianteira do desenvolvimento nacional. A libertação não representou nenhum abalo de monta para a economia regional.

A situação era diversa na província do Rio de Janeiro. A região enfrentava uma crise, com vários produtores rurais endividados em bancos. A libertação poderia representar um sério abalo. Com isso, os fazendeiros fluminenses ficaram contra a libertação.

LIMITES DO ABOLICIONISMO Apesar da ênfase abolicionista de setores das camadas médias e mesmo das elites em alguns centros urbanos, a pregação libertária tinha limites. Eles tornam-se perceptíveis quando examinamos que tipo de campanha os ideólogos da elite pretendiam realizar. Vale a pena conhecer as ideias do mais importante intelectual da emancipação, Joaquim Nabuco. Como deputado, ele liderou a jornada no parlamento.

Um trecho de sua obra mais importante, O abolicionismo, escrita em 1882, é esclarecedor. Nesta, Nabuco alega ter um “mandato da raça negra” (embora escravos não votassem):

“O mandato abolicionista é uma dupla delegação, inconsciente da parte dos que a fazem, (...), interpretada pelos que a aceitam como um mandato a que não se pode renunciar. Nesse sentido, deve-se dizer que o abolicionista é o advogado de duas classes sociais que de outra forma não teriam meios de reivindicar seus direitos, nem consciência deles. Essas classes são: os escravos e os ingênuos. Os motivos pelos quais essa procuração tácita impõem-nos uma obrigação irrenunciável não são puramente - para muitos não são mesmo principalmente - motivos de humanidade, compaixão e defesa generosa do fraco e do oprimido”.

Rico, filho do senador José Tomás Nabuco de Araújo (1813-1878), o parlamentar é membro de uma importante família pernambucana que teve entre seus membros altos funcionários do Império. Sigamos suas concepções:

“A propaganda abolicionista (...) não se dirige aos escravos. Seria uma covardia, inepta e criminosa e, além disso, um suicídio político para o partido abolicionista, incitar à insurreição, ou ao crime, homens sem defesa e que a lei da Lynch, ou a justiça pública, imediatamente, haveria de esmagar”.

Por que Nabuco pensa assim? Acompanhemos:

“A escravidão não há de ser suprimida no Brasil por uma guerra servil, muito menos por insurreições ou atentados locais. (...) A emancipação há de ser feita entre nós por uma lei que tenha os requisitos, externos e internos, de todas as outras. É, assim, no Parlamento, e não em fazendas ou quilombos do interior, nem nas ruas e nas praças das cidades que se há de ganhar ou perder a causa da liberdade”.

Sintetizemos: para Nabuco, o negro não tem consciência nem voz. Precisa de alguém para defendê-lo. É natural que quem o faça seja um branco, culto e influente. Mesmo assim, o negro não pode participar das mobilizações que visem mudar sua sina, sob pena de termos um cenário imprevisível.

Mesmo José do Patrocínio (1853-1905), tido como um abolicionista radical, não apresenta visão muito distinta. Pregava, no entanto, a necessidade de a campanha ganhar as ruas. O chamado Tigre da Abolição falava em “revolução”. Mas apontava ressalvas, dizendo ser necessária uma “aliança do soberano com o povo”:

“É uma revolução de cima para baixo. O povo não teria força por si só para realizar a abolição da escravidão”.

LEGALIDADE MONÁRQUICA As pregações de Nabuco e de Patrocínio envolviam duas vertentes principais.

A primeira é que o abolicionismo deveria ser conduzido nos estreitos limites da legalidade monárquica e escravocrata, no Parlamento e, no máximo, em salões e saraus. Deveria ser fruto de uma solução negociada entre o Estado e os fazendeiros, no espaço institucional e não no espaço social e público, sem risco de perda de controle.

A segunda é que os negros seriam sujeitos passivos nesse conflito. A essência da campanha abolicionista da chamada elite branca era clara: a emancipação deveria libertar os cativos sem tocar na ordem econômica vigente, centrada no latifúndio. Para isso, havia ao receio de que o movimento ganhasse as ruas, envolvendo seus principais interessados, os negros, e tivesse contornos de desobediência civil.

Em seu livro Onda negra, medo branco, Celia Maria Marinho de Azevedo chama a atenção para algumas decorrências dessa situação:

“Tudo se passa, enfim, como se os abolicionistas tivessem dado o impulso inicial e dirigido os escravos nestas rebeliões e fugas (...).Quanto aos escravos, tem-se a impressão de que são vítimas passivas, subitamente acordadas e tiradas do isolamento das fazendas pelos abolicionistas; ou então (...) a ideia que se passa é a de que o negro, apesar de toda a sua rebeldia, estava impossibilitado de conferir um sentido político às suas ações”.

Foi com esse caldo de cultura que se preparou a Abolição como uma intervenção restrita à libertação, sem medidas complementares, como reforma agrária, ampliação do mercado de trabalho, acesso à educação, saúde etc.

O que estava em jogo para a elite branca não era principalmente uma reforma social, mas a liberação das forças produtivas dos custos de manutenção de um grande contingente de força de trabalho confinada. A escravidão, no final do século XIX, tornara-se um obstáculo ao desenvolvimento econômico."

http://www.ipea.gov.br/desafios/index.ph...&Itemid=23

Este artigo me abriu muito os olhos sobre a abolição da escravatura.

Vale a pena a leitura completa do link.

É exatamente isso. A cultura do privilégio que ridiculariza o trabalhador braçal e os escraviza dentro do sistema.

É tão cruel que a propriedade predial está nas mãos da classe mais alta e só a residência dos assalariados leva quase a totalidade de seus ganhos.

Ou seja, o antigo senhor de escravo (que, aliás, tem seus herdeiros legislando em causa própria nesse momento no Congresso) lucra mais com o salário do que com o escravo.

E esse governo implantado está aí para legitimar (por lei) esse privilégio ainda mais.

Mas a propaganda na mídia está a todo vapor, comprando a leniência.

"Não é quem eu sou por dentro e sim o que eu faço é que me define." Batman.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 5 usuários diz(em) obrigado a Guigo Xavier pelo seu post:
Cimberley Cáspio (20-11-2017), hanwou (01-12-2017), marcosarierom (20-11-2017), Nelson Ferreira (20-11-2017), tarcardoso (20-11-2017)
O Melhor em Suplementos Esportivos Você encontra na Tudo Saudável
05-12-2017, 01:44 PM
Resposta: #8
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Não havia lido tudo, mas valos lá:
1º: Salário é o quanto você aceita receber por um trabalho igual ao do seu concorrente.
Se você estiver passando fome, você irá aceitar trabalhar por um prato de comida.
2º: As palavras do tópico remontam o pensamento esquerdista de que o governo tem que garantir um salário digno, que os ricos são culpados de tudo, e por aí vai.
A verdade é que num mundo onde pessoas passam fome, quem tem um pé de laranja é rei.
Se você quer ter um pé de laranja, plante e espere crescer.
Enquanto ele não cresce, você terá que trabalhar, aceitando o que vier para você e agradecendo pela oportunidade.
Quando seu pé de laranja estiver dando frutos, será a hora de colher as laranjas e até mesmo ofertar algumas laranjas para quem estiver mais necessitado, assim como como "você" estava quando não tinha seu pé de laranja.
Quanto mais pessoas puder ajudar a terem seu próprio pé de laranja, mais rico a sociedade irá se tornar e haverá laranja para todos. Portanto, falta a muitos a devida paciência e conhecimento para que aprendam a plantar, a esperar e a não gastar todas as laranjas de uma só vez.

Fica a reflexão.
O capitalismo prega que você tem o pé de laranja por que fez por merecer.
O socialismo esquerdista prega que quem tem o pé de laranja (que conseguiu por sacrifícios) deve ser dado aos que não tem um pé de laranja.

Por isto, vá "plantar".
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 4 usuários diz(em) obrigado a pablo_hp pelo seu post:
Cimberley Cáspio (06-12-2017), marcosarierom (05-12-2017), Nelson Ferreira (06-12-2017), pequeno gafanhoto (05-12-2017)
05-12-2017, 03:20 PM
Resposta: #9
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
(05-12-2017 01:44 PM)pablo_hp Escreveu:  ...

Não sou esquerdista, nem direitista, nem capitalista. Não hasteio bandeira nenhuma, mas sim busco o que há de positivo em cada uma dessas correntes afim de ter algo realmente justo para nós como sociedade.

Aí pergunto, se não for para garantir justiça e igualdade, para que precisamos de um governo que nos controle?...

Tem muita gente por aí que durante a vida trabalhou muito mais que um dono de "pé de laranja" e não tem direito se quer a um pedacinho de terra para tentar plantar um. Será que é por que os "mais fortes/espertos" tomaram para si até aquilo que deveria ser direito de todos que nascem nesse mundo, tendo trabalhado para conquistar ou não? Fica a reflexão...

"Faça a mudança que quer ver no mundo!"
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 4 usuários diz(em) obrigado a Unk pelo seu post:
Cimberley Cáspio (06-12-2017), marcosarierom (05-12-2017), Nelson Ferreira (06-12-2017), tarcardoso (05-12-2017)
05-12-2017, 07:29 PM (Resposta editada pela última vez em: 05-12-2017 07:33 PM por tarcardoso.)
Resposta: #10
RE: Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
(05-12-2017 01:44 PM)pablo_hp Escreveu:  ...
O capitalismo prega que você tem o pé de laranja por que fez por merecer.

O capitalismo não prega nada. Quem prega é o cristianismo protestante, a alma do capitalismo.

O capitalismo nasceu de um mundo onde tudo tinha dono, ate as pessoas eram propriedades dos nobres.

O que o capitalismo não comprou ele assaltou. Os plebeus que não entenderam a ótica do acumulo, teve que assaltar, tomar a força o novo mundo que se descobria.

Citar:O socialismo esquerdista prega que quem tem o pé de laranja (que conseguiu por sacrifícios) deve ser dado aos que não tem um pé de laranja.

O socialismo esquerdista afirma que a Rússia não é dos Czares, O Brasil não é da rede globo, o EUA não é de Soros e Companhia.

O Brasil é desse jeito porque pessoas pensam igual o senhor, acha que a nação é uma laranja. O Brasil não é uma laranja do Michel Temer, dos Magalhães, dos Abravanel, dos Marinhos, dos Neves, etc.

Citar:Por isto, vá "plantar".

Plantar aonde meu querido em Marte?

Especular do mercado financeiro que lesa de forma oculta os menos favorecidos da sociedade?

Labutar na selva de pedra onde um ganha e uma multidão perde?

Disputar contra mega-corporações ou contra a China que a anos estão preparados e possuem um poder de uma nação?

Acorda companheiro anti-NOM, isso não é um sonho americano, isso é um pesadelo tupiniquim.

Não temos como indivíduos plantar uma laranja, temos como grupo, como nação plantar um laranjal.

O sonho americano nos isola, sozinhos somos fracos.

Acorde dessa ilusão, entenda a teoria dos jogos.

Citar:..interesses próprios e racionais prejudicam a todos...

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_dos_jogos
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 3 usuários diz(em) obrigado a tarcardoso pelo seu post:
Cimberley Cáspio (06-12-2017), Nelson Ferreira (06-12-2017), Unk (05-12-2017)
Compre Cúrcuma em Pó na Tudo Saudável
Responder 


Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas Visualizações: Última Resposta
  Boletos...um passo sorrateiro para a NOM no Brasil. jonas car 33 7,317 19-05-2018 06:47 PM
Última Resposta: jonas car
Exclamation Plano dos EUA Para Invasão do Brasil Sann 24 21,261 14-05-2018 08:01 PM
Última Resposta: Aff vaf
  Intervenção militar no Brasil! NOM? Diakonov 47 5,953 09-05-2018 03:29 AM
Última Resposta: CaféSemAçúcar
  TSE e o Golpe de Estado no Brasil. jonas car 6 1,595 11-04-2018 10:54 PM
Última Resposta: Doc S
  Illuminati No Brasil ? Antonio Martins 110 137,375 14-03-2018 04:57 PM
Última Resposta: draggy29

Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes
Tópicos relacionados...

Publicidade:
Loja de Produtos Naturais Tudo Saudável

Recomende o Fórum


Sites Associados: Dossiê Vacina HPV
Registro de Efeitos Adversos das Vacinas
Rastreando Chemtrails
Site Notícias Naturais
Fórum Notícias Naturais Blog Anti-Nova Ordem Mundial

Pesquisar

(Pesquisa Avançada)

Olá, Visitante
Olá Visitante!
Para participar do fórum, é necessário se Registrar.



  

Senha
  





Usuários Online
Existem no momento 126 usuários online.
» 2 Membros | 124 Visitantes
Unk

Estatísticas do Fórum
» Membros: 20,455
» Último Membro: HERMES SALES CAMPOS
» Tópicos do Fórum: 25,070
» Respostas do Fórum: 268,383

Estatísticas Completas

Tópicos Recentes
Mundo Paralelo / Outra Dimensão
Última Resposta Por: Unk
Hoje 10:29 PM
» Respostas: 15
» Visualizações: 680
A ERA DO ENGANO
Última Resposta Por: pablo_hp
Hoje 07:06 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 82
Os misteriosos megálitos da Rússia podem ser evidência de civilizações avançadas perd
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 06:02 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 39
Símbolos Aborígenes Australianos descobertos no pilar de 12 mil anos na Turquia
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:51 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 40
Pirâmide na Indonésia poderia mudar a história convencional
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:21 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 54
Bracelete de 40.000 anos abala a história
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:03 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 44
Os Gigantes Construíram o Templo de Lepakshi?
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 04:28 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 53
Evidência de tecnologia avançada no Egito Antigo cortou pedra
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 04:06 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 60
No Kosovo, encontrou um transformador com 20 mil anos de idade
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:50 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 75
E se formos apenas uma simulação de computador?
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:32 PM
» Respostas: 13
» Visualizações: 4504
O Cérebro Russo
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:29 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 207
Prenúncio do fim do PCC é encontrado no centro de uma rocha de 270 milhões de anos
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:20 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 412
WAFFLE ROCK: UM RESÍDUO DE UMA TECNOLOGIA DE 300 MILHÕES DE ANOS ATRÁS?
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:04 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 215
RELATIVISMO
Última Resposta Por: NoNOM
Hoje 11:43 AM
» Respostas: 2
» Visualizações: 210
Entenda o que é GIPS: A Islamofobia é a própria Nova Ordem Mundial
Última Resposta Por: jonas car
Hoje 01:16 AM
» Respostas: 9
» Visualizações: 382
Maçonaria Françesa X Maçonaria Inglesa
Última Resposta Por: jonas car
Hoje 12:41 AM
» Respostas: 6
» Visualizações: 775
Coletivismo
Última Resposta Por: pablo_hp
Hoje 12:16 AM
» Respostas: 16
» Visualizações: 540
15 vezes o Simpson previu corretamente o futuro
Última Resposta Por: Doc S
Ontem 09:29 PM
» Respostas: 5
» Visualizações: 462
A verdade por trás do desarmamento
Última Resposta Por: StephanieDK
Ontem 05:33 PM
» Respostas: 9
» Visualizações: 710
A Cia age livremente no Brasil, sem que ninguém a incomode. E à ABIN? Bem, a ABIN...
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
Ontem 04:01 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 188
Porque Tesla acreditava que os números 3, 6 e 9 são segredos para o nosso universo
Última Resposta Por: Minerim
Ontem 03:27 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 329
Fome gera deserção em massa nas forças militares venezuelanas.
Última Resposta Por: Beobachter
Ontem 03:14 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 164
SIONISMO: A verdadeira face do mal
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
Ontem 10:43 AM
» Respostas: 46
» Visualizações: 19433
Brasil: onde a vida humana é desprezada, odiada, perseguida e discriminada.
Última Resposta Por: Unk
Ontem 10:39 AM
» Respostas: 13
» Visualizações: 2024
Últimos acontecimentos ONLINE
Última Resposta Por: Justo
Ontem 10:28 AM
» Respostas: 840
» Visualizações: 170598
Canal "Ciência de Verdade" Anti Globalista, Perseguido
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 01:29 AM
» Respostas: 54
» Visualizações: 4702
Nibiru, Elenin, - Transformações da Terra - o que ninguém te conta
Última Resposta Por: Elenin20182024
Ontem 01:24 AM
» Respostas: 1252
» Visualizações: 542831
Hitler era bastante islamófilo
Última Resposta Por: ked
20-05-2018 09:58 PM
» Respostas: 11
» Visualizações: 404
Comando Sul dos EUA vai controlar a tríplice fronteira a partir de Buenos Aires.
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
20-05-2018 05:26 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 173
O moderno exército dos EUA: inadequado para o serviço?
Última Resposta Por: Bruna T
20-05-2018 02:38 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 255

Lista completa de tópicos

Divulgue o fórum em seu site!

Camisetas:
camisetas resista à nova ordem mundial