Aqui você encontra as barrinhas da Hart's Natural pelo menor preço


Atualizações: Operação Jade Helm

Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 3 Votos - 4 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
O desequilibrio da penalidade e suas consequências.
26-06-2017, 11:55 AM
Resposta: #11
RE: O desequilibrio da penalidade e suas consequências.
(26-06-2017 01:40 AM)DeOlhOnafigueira Escreveu:  
(25-06-2017 01:32 AM)jonas car Escreveu:  Assistiu todo? Se sim percebeu que o narrador é um legalista e mesmo assim constata um avanço temerário do poder estatal.
Veja amigo, o Estado Democrático só existe se o Povo realmente emana o Poder que o coordena.
Se o Estado só existe para explorar o povo então não vivemos numa republica democrática mas sim numa monarquia escravocrata cíclica.
Policiais são tbm membros da população e devem se enxergar como cidadãos antes de se enxergar como membros do Estado, pq na verdade o Estado deveria servir ao povo e não o contrário.
No entanto a mesma inversão de valores que acomete o povo, acomete os agentes do Estado, só que os agentes do Estado gozam de poderes e prerrogativas quase absolutas o que está gerando um absolutismo altamente nocivo.
Meu objetivo com o post é relembrar, isso mesmo relembrar, os visitantes do tópico que não é papel do Estado controlar o povo e sim o contrário.
A incoerência da penalidade é a demonstração de que, não a Lei, mas aqueles que a aplicam, estão usando a interpretação corrosiva da lei para deteriorar qualquer sintoma de liberdade que nos resta.

De grosso modo, não importa se com fuzis, cordas, tochas, espadas ou pedras... nas mãos de homens e mulheres maus, a intenção e a ação é que são o mal a ser combatido.

Já dito aqui que, "a Constituição estabelece no artigo 1°, parágrafo único que, todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição". Logo, o poder de algum modo é representado pelo povo. O controle é feito pelo povo. As forças citadas, no caso a polícia, é fruto dessa sociedade, desse povo.

A questão é: nos diversos modelos de Estados que tivemos no passado, o que causaram as mudanças, até chegarmos no atual, o Moderno? O povo! Representados em suas diversas categorias que se manifestaram.

Agora analisemos: há quase três decadas todas as opções do regime político, bem como todas as escolhas das pessoas que o dirigem, são feitas pelo povo, através do voto popular, livre e universal!

Não houve pressão, nem censura, nem prisoes, para obrigar o povo a fazer as suas escolhas políticas. Houveram debates, todo o tipo de informação, ouvimos promessas, tivemos a oportunidade de nos manifestarmos a favor ou contra.

Se os que estao lá, representando o Estado não prestam, de quem é a culpa afinal? Do povo que fez a escolha. E nem precisa dizer que esses que lá estão, são frutos do povo. E são esses que fazem as leis que nos regem!

Enfim, o povo é soberano ou nao? O problema é que nem o povo se entende. E isso é democracia.

Se tivermos que culpar alguém seria a ignorância... do povo.


Dizem que os políticos são o reflexo do povo.

Nosso povo é muito mal educado. Estava olhando alguns vídeos no youtube sobre inúmeros temas, e me espantei com falta de educação da população na maioria dos comentários. Comentários maldosos, arrogantes...


Um exemplo é o vídeo abaixo, onde as pessoas não medem as palavras em criticar e xingar uma criança de 12 anos, que não fez nada para ninguém.






Alguns comentários até demonstram que o que impera no Brasil é a malandragem, e que as escolas não servem mais de parâmetro para a educação.


Citar:Lucas Junior1 dia atrás (editado)
só digo uma coisa seu filho vai sofrer Bullying pra krl kkkkkkkkkkkkkk msm em escolas públicas ou particulares, depois de um tempo vc vai perceber a ***** que fez voltar pra cá!





Sir Galahad1 dia atrás
Geraldao de Rivia Creio que não mudou nada
Estou na pública desde o ensino fundamental e em toda sala haviam idiotas que atrapalhavam as aulas

Lucas Garcia1 dia atrás
Lucas Junior Está piorando cada vez mais, as escolas tem até um odor característico, de maconha



Lucas Garcia1 dia atrás
jones bgood Sim, o fundamental é o inferno do inferno!E não estão nem ae pra tamanho mesmo, dps que veem fraqueza, já era...

Em determinada hora, a partir de agora... Outras espécies de vida irão desaparecer da face do planeta...
Para sempre... E o ritmo está acelerando.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 4 usuários diz(em) obrigado a ULTRON pelo seu post:
DeOlhOnafigueira (26-06-2017), Doc S (26-06-2017), jonas car (28-06-2017), marcosarierom (28-06-2017)
Shoyu e Missô Orgânicos Você Encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais
26-06-2017, 12:08 PM
Resposta: #12
RE: O desequilibrio da penalidade e suas consequências.
Mas, somente um adendo, precisamos trazer algum esclarecimento que o Direito Penal não se trata de mera aplicação da lei, Veja o que trás o professor Luis Flávio Gomes sobre o tema.

"Por portar uma munição proibida como pingente de colar um cidadão (tratado, na verdade, como sub-cidadão), foi condenado (art. 16 da Lei 10.826/03) ao cumprimento da pena de três anos de reclusão, em regime inicial aberto, tendo o castigo penal sido substituído por duas penas restritivas de direitos. Decisões como essa evidenciam que aplicar a maquinaria pesada do direito penal equivocadamente é uma arma mais perigosa que a própria arma de fogo desmuniciada ou do que o porte da munição desarmada.

Por que aberrações como essas acontecem com frequência no nosso ordenamento jurídico? Há as explicações políticas (históricas, econômicas, sociológicas) e existem também as explicações jurídicas.

O pingente gerou condenação criminal em primeira instância (uma comarca em MG), absolvição no TJ-MG e condenação no STJ. A decisão desarrazoada e descomedida do STJ foi reformada pelo STF (em 17/5/16 – Habeas Corpus 133.984), acertadamente, sendo relatora a ministra Cármen Lúcia. Com tantas denúncias da Lava Jato pendentes de recebimento, novamente foi necessário gastar o tempo dos ministros do STF (2ª Turma) para reparar a injustiça praticada pelo STJ (e, anteriormente, pelo juiz de primeiro grau).

Esse tipo de equivoco medonho que vem sendo cometido por alguns juízes do país (no caso: juiz de 1º grau e STJ) decorre de dois motivos: (1) da leitura seca da lei (= positivismo jurídico legalista, anterior ao neoconstitucionalismo pós 2ª Guerra Mundial, que foi estruturado para evitar absurdos na aplicação das leis assim como as atrocidades da primeira metade do século XX); (2) da falta de atualização dogmática, que hoje diferencia nitidamente o crime de perigo abstrato presumido (totalmente inconstitucional) do crime de perigo abstrato de perigosidade real, que é o limite máximo da antecipação da tutela penal – leia-se, da Vorfeldkriminalisierung (veja nosso livro Lei Seca – Saraiva, assim como Direito Penal-PG, Juspodivm).

Entre a letra da lei e a existência de um crime está a constituição assim como a dogmática penal (que fala em tipicidade, antijuridicidade e punibilidade – como ameaça de pena). A tipicidade, por seu turno, possui três dimensões: formal, material e dolo ou culpa. Todos esses filtros são relevantes e não foram inventados por mero deleite. Quem atabalhoadamente confunde a letra da lei (seca) com a configuração do crime ingressa, frequentemente, no chamado direito penal máximo (que é expressão do direito penal do inimigo de Jakobs, que tem antecedente histórico no nazismo de Hitler); o correto é o direito penal constitucional máximo (que é o direito penal que pune o agente do crime na medida da sua culpabilidade consoante os limites constitucionais).

No caso do porte ilegal de munição (de uso permitido ou de uso ilícito), para além desse fato objetivo que deve ser comprovado (e que está descrito na lei), o fundamental é também comprovar a disponibilidade de uso da munição (ou, quando o caso, da arma). Não é preciso dar tiro em ninguém, não é necessário haver disparo (porque não se trata de perigo concreto), sim, só é imprescindível que o objeto tenha disponibilidade de uso pelo agente no contexto fático em que ele se encontrava.

Do contrário, mesmo quando se trata de arma quebrada, fora de uso, totalmente impossibilitada para disparo, haveria crime. A arma quebrada e um pedaço de tijolo não teria nenhuma diferença para o efeito do crime de portar arma de fogo (não estou falando da eficácia intimidativa, que é outra coisa – e existe, mesmo no caso de arma quebrada ou desmuniciada). Se a arma quebrada (sem chance de uso, sem capacidade de disparo) constitui o crime de porte ilegal de arma de fogo, dentro de pouco o legislador vai criminalizar também o porte de tijolo, de ferro, de concreto etc.

A disponibilidade de uso da munição (ou da arma, quando o caso) se chama perigo abstrato de perigosidade real, ou seja, há um mínimo de perigosidade real (efetiva) na conduta do agente que porta uma munição com possibilidade concreta de uso (facilidade de acesso a uma arma de fogo). O mesmo raciocínio é feito em relação à posse de arma sem munição: tudo é regido pelo princípio da disponibilidade de uso (conforme julgados do STF: HC 81.057-SP e RHC 90.197).

Aplicar o texto legal secamente, sem levar em conta princípios constitucionais relevantes (razoabilidade, ofensividade, subsidiariedade etc.), é fazer do direito penal uma arma mais perigosa que a própria arma de fogo desmuniciada ou do que o porte da munição desarmada. A munição desarmada, usada como pingente, jamais colocará em risco qualquer pessoa. A arma do direito penal mal usada leva as pessoas para a cadeia. Pode-se afirmar que o uso de projétil como pingente seja algo de mau-gosto. Mas, mau-gosto não é delito.

É muito grave quando o usuário da arma legal (o juiz) não está (no momento da aplicação da lei) com boa pontaria. O perigo, nesse caso (atirador sem boa pontaria), é abstrato e presumido para os súditos (por não utilizar o juiz os instrumentos técnicos desenvolvidos pela dogmática assim como pela mais lúcida jurisprudência do STF).

Se o juiz não está dogmática e/ou jurisprudencialmente bem habilitado ou familiarizado com a dimensão material da tipicidade decorrente do princípio da ofensividade (ver Luiz Flávio Gomes), da teoria da imputação objetiva de Roxin e da teoria da tipicidade conglobante de Zaffaroni, o uso da arma mais drástica que existe nas mãos do Estado (o direito penal) passa a ser revestido de alto risco para a população, posto que o juiz pode sair por aí efetuando disparos a esmo, que no caso são convertidos em anos e anos de cadeia, sem fazer as distinções e ponderações que sublinhamos acima. Simão Bacamarte, deverasmente semelhantemente, mandava todo mundo para o hospício. E sabemos o que ocorreu com ele no final.

A decisão do STJ (condenatória – três anos de cadeia pelo pingente) foi reformada no STF. Em seu voto, a ministra Cármen Lúcia disse não desconhecer a jurisprudência do Supremo sobre o delito de porte de munição (a jurisprudência majoritária perigosista e fundamentalista do STJ e do STF é no sentido condenatório: STJ, HC 322.876/MS, Quinta Turma, rel. Min. Reynado Soares da Fonseca, j. 05.04.2016, DJe 13.04.2016; STJ, HC 338.677/RS, Sexta Turma, rel. Min. Ericson Maranho, j. 23.02.2016, DJe 03.03.2016; STJ, HC 203.019/SP, Sexta Turma, rel. Min. Nefi Cordeiro, j. 27.10.2015, DJe 16.11.2015; STF, RHC 128.722, Segunda Turma, rel. Min. Dias Toffoli, j. 22.09.2015, DJe-210 DIVULG 20-10-2015 PUBLIC 21-10-2015; STF, RHC 128.281/SP, Segunda Turma, rel. Min. Teori Zavascki, j. 04.08.2015, DJe-167 DIVULG 25-08-2015 PUBLIC 26-08-2015).

Mas nesse caso, frisou a relatora, nem se pode cogitar de perigo abstrato nem de perigo concreto. Ao conceder a ordem de habeas corpus, a ministra disse considerar, contudo, que o jovem não devia ter feito pingente “com uma bobagem dessas”. Sensibilidade ética, acima de tudo (é o que se vê na decisão). Traduzindo tudo: a ministra não vislumbrou o perigo abstrato de perigosidade real, que é o mínimo exigido pelo direito penal da ofensividade para o reconhecimento de um delito. O crime não é mera desobediência à norma (assim foi no nazismo). Como a norma é valorativa, só existe crime quando a conduta viola o valor protegido pela norma penal (o bem jurídico). Se a conduta não colocou objetivamente em risco o bem jurídico protegido, não há crime (mesmo que formalmente típica). Não há aqui a tipicidade material (tudo como acontece com o princípio da insignificância). Viva os juízes de Berlim!

Explicações políticas

A aplicação arbitrária (descomedida, desarrazoada) dos castigos penais (contra quem quer que seja) significa poderes com ausência de limites, que é coisa típica dos países fracassados, dotados de instituições econômicas extrativistas (saqueadoras, extremamente desiguais), que se valem da corrupção como ponte (corrupção em sentido lato, de estragar, de danificar, de degenerar) para estimular a existência de instituições políticas, jurídicas e sociais favoráveis à preservação da desigualdade, da extrema pobreza, da concentração da riqueza de um país nas mãos de poucos, da desigualdade educacional, emocional, de renda, de patrimônio, de relações sociais etc. As instituições políticas, jurídicas e sociais quando não inclusivas criam um círculo vicioso gerador do caos, que é a antessala do colapso: as instituições econômicas extrativistas favorecem a corrupção das demais instituições que estimulam os desvalores das primeiras: desigualdade, miséria, oportunidades diferenciadas, capitais distintos, tratamentos diferenciados etc. As últimas criam forças poderosas em direção à manutenção das instituições extrativistas. Esse círculo vicioso não é determinista, não existe para sempre, mas é muito resistente.

O que o círculo vicioso gera para a nação é um “feedback negativo”: “as instituições políticas [jurídicas e sociais] forjam [ou perpetuam] suas contrapartes econômicas, as quais por sua vez fornecem a base [por meio da corrupção] para a persistência das primeiras”.[1] Em todos os países colonizados, uma elite (uma oligarquia = domínio de poucos) permaneceu no poder no período colonial e assim prosseguiu depois da independência da nação. A riqueza (concentrada) dessas elites (oligarquias) se deve às instituições econômicas extrativistas (saqueadoras), que são duradouras, até que encontrem resistência. As revoluções inglesa (1688) e francesa (1789) constituem exemplos históricos de mudança de rumos (ou seja: da passagem das instituições extrativistas para as inclusivas). Isso explica a prosperidade desses dois países. Onde as instituições econômicas extrativistas não foram rompidas, o que se vê é o fracasso e o persistente enriquecimento das oligarquias (elites) e precisamente essa riqueza constitui a base da continuidade do seu domínio (frente a todas as demais instituições).

http://luizflaviogomes.com/stf-absolve-c...-de-colar/

"Não é quem eu sou por dentro e sim o que eu faço é que me define." Batman.
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 4 usuários diz(em) obrigado a Guigo Xavier pelo seu post:
DeOlhOnafigueira (26-06-2017), Doc S (26-06-2017), jonas car (28-06-2017), marcosarierom (28-06-2017)
Responder 


Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas Visualizações: Última Resposta
  Pessoas que discordam da FEMA, estão tendo suas casas marcadas John Dickinson 21 6,773 21-09-2015 09:00 PM
Última Resposta: John Dickinson

Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes
Tópicos relacionados...

Publicidade:
Loja de Produtos Naturais Tudo Saudável

Recomende o Fórum


Sites Associados: Dossiê Vacina HPV
Registro de Efeitos Adversos das Vacinas
Rastreando Chemtrails
Site Notícias Naturais
Fórum Notícias Naturais Blog Anti-Nova Ordem Mundial

Pesquisar

(Pesquisa Avançada)

Olá, Visitante
Olá Visitante!
Para participar do fórum, é necessário se Registrar.



  

Senha
  





Usuários Online
Existem no momento 141 usuários online.
» 5 Membros | 136 Visitantes
juan, marcosarierom, rmuller, Roseta Azul

Estatísticas do Fórum
» Membros: 20,504
» Último Membro: gmiczugun
» Tópicos do Fórum: 25,166
» Respostas do Fórum: 268,964

Estatísticas Completas

Tópicos Recentes
Nosso mundo é uma prisão conceitual e só vemos relances da realidade, diz cientista
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:46 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 441
União Europeia quer destruir Internet Livre
Última Resposta Por: CaféSemAçúcar
Hoje 05:30 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 231
Segredo do Universo pode estar em outro Universo
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:29 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 11
A Origem da Vida
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 05:04 PM
» Respostas: 4
» Visualizações: 365
A Mafia e o Vaticano
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 04:49 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 17
OS MISTERIOSOS MONÓLITOS DE ASUKA NARA
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 04:29 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 28
Nibiru, Elenin, - Transformações da Terra - o que ninguém te conta
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:57 PM
» Respostas: 1256
» Visualizações: 548335
Ollantaytambo - Super Construção Anterior aos Incas
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:44 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 25
PHAETON, O PLANETA DESAPARECIDO
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:33 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 28
A NOM Está Devorando a Liberdade no Brasil!
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
Hoje 03:31 PM
» Respostas: 21
» Visualizações: 3747
O Estatuto dos Animais e Sua Liberdade.
Última Resposta Por: Marcelo Almeida
Hoje 03:23 PM
» Respostas: 27
» Visualizações: 2310
Radiação nas paredes de Teotihuacán
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:17 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 29
Um Exército precisa ter história...e glória.
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
Hoje 03:05 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 25
Criamos seres vivos de silício
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 03:04 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 40
Chavin de Huántar: uma réplica do Templo de Salomão na América do Sul?
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:42 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 40
Evolucionismo, o Conto de Fadas de Darwin
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:35 PM
» Respostas: 4
» Visualizações: 272
A Pedra Misteriosa de Winnipesaukee
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:18 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 278
Ovo de avestruz de 7.000 anos tem representado as 3 grandes pirâmides
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:15 PM
» Respostas: 2
» Visualizações: 329
Terra preta da Amazônia - Prova de Terraformação
Última Resposta Por: Thucks
Hoje 02:08 PM
» Respostas: 3
» Visualizações: 377
"STARGATE" Portal Dimensional Será Aberto em 11.11.11?
Última Resposta Por: Elenin20182024
Hoje 12:35 PM
» Respostas: 147
» Visualizações: 96398
[URGENTE]Lançado projeto prático de Computador Quântico de grandes proporções
Última Resposta Por: Elenin20182024
Hoje 12:34 PM
» Respostas: 18
» Visualizações: 2534
Setembro de 2015: CERN, Eclipse, Alinhamentos - O que isso tudo tem a ver?
Última Resposta Por: Elenin20182024
Hoje 12:33 PM
» Respostas: 697
» Visualizações: 133239
O inferno africano
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
Hoje 10:28 AM
» Respostas: 5
» Visualizações: 377
Judaísmo, Selo de Salomão e a Serpente
Última Resposta Por: CaféSemAçúcar
Hoje 09:56 AM
» Respostas: 30
» Visualizações: 2088
A ilusão da consciência...
Última Resposta Por: Unk
Ontem 11:51 PM
» Respostas: 12
» Visualizações: 2661
Talvez a mais nobre das Filosofias
Última Resposta Por: Bogoton
Ontem 08:30 PM
» Respostas: 11
» Visualizações: 1200
O que estou a ler.
Última Resposta Por: DeOlhOnafigueira
Ontem 07:42 PM
» Respostas: 56
» Visualizações: 11230
Através da Rússia, nigeriano entra na Finlândia c/passaporte brasileiro falso.
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
Ontem 04:23 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 146
O show da Nova Ordem Mundial
Última Resposta Por: ULTRON
Ontem 03:27 PM
» Respostas: 12
» Visualizações: 1228
Monarquia no Brasil: um sonho que não parece tão distante.
Última Resposta Por: Cimberley Cáspio
Ontem 02:15 PM
» Respostas: 7
» Visualizações: 377

Lista completa de tópicos

Divulgue o fórum em seu site!

Camisetas:
camisetas resista à nova ordem mundial